segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Presidente do Inep dá explicações sobre o vazamento de questões do Enem

"A presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, Malvina Tuttman, está em Fortaleza. Terminou agora há pouco a reunião, na Justiça Federal, entre ela e o juiz Luiz Praxedes Vieira. A presidente do Inep apresentou a posição do órgão sobre o pedido do Ministério Público Federal de anulação total do Exame Nacional do Ensino Médio ou pelo menos das 14 questões que apareceram no Enem e no simulado de um colégio de Fortaleza.
O magistrado ouviu, além de Malvina Tuttman, o procurador jurídico do Ministério da Educação, o procurador jurídico do Inep, um advogado da Advocacia Geral da União e um assessor especial do ministro Fernando Haddad. A movimentação em frente ao prédio da Justiça Federal foi intensa. Os estudantes que fizeram a prova do Enem protestaram contra a primeira decisão do MEC de anular a prova para os estudantes do colégio Christus. Eles permaneceram em frente a sede da Justiça Federal durante toda a reunião.
A polêmica de irregularidade no Enem veio à tona com a descoberta de que 14 questões aplicadas no exame seriam idênticas às de um simulado distribuído aos alunos do colégio Christus. O Ministério da Educação confirmou que as questões que vazaram estavam no pré-teste aplicado aos alunos cearenses da escola particular em outubro do ano passado. O Inep chegou a decidir que esses 639 candidatos teriam que refazer a prova. A assessoria de comunicação da Justiça Federal informou que o juiz Luiz Praxedes ainda vai ouvir representantes do colégio Christus e uma comissão de alunos para só depois tomar a decisão sobre o caso, o que pode acontecer amanhã."
(Informações TV Diário)

Eunício diz que PMDB irá bater recorde no número de prefeitos eleitos em 2012

"O senador Eunício Oliveira (PMDB) afirmou neste domingo (30), durante a realização da convenção municipal do PMDB, em Tauá, que nas eleições de 2012, o partido deverá bater recorde no número de prefeitos eleitos.
Em seu discurso Eunício agradeceu aos munícipes, a expressiva votação conquistada em 2010. “Sou muito grato aos quase 20 mil tauaenses que confiaram em mim no último pleito”, disse.
Ao lado de representantes de associações de agricultores da Região, ele relatou sua alegria ao criar a Lei 11.322, batizada pelo então presidente Lula, como Lei Eunício Oliveira.
“Chego a me emocionar ao apertar a mão de um pequeno agricultor, pois sei que ali pode estar uma pessoa que ajudei. No total 340 mil famílias puderam permanecer em suas terras”, frisou.
O parlamentar fez ainda uma explanação sobre o Projeto de Lei do Senado (PLS 163/2000), que cria o Fundo de Apoio à Cultura do Caju (Funcaju). O texto foi aprovado por unanimidade na reunião da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), da última quarta-feira (26).
“É uma matéria importante para o desenvolvimento do setor no País, principalmente para o Ceará, que hoje é um grande produtor e exportador nacional”, finalizou. o parlamentar esteve também nas cidades de Acaraú e Marco, na última sexta-feira (28) e Canindé, no sábado (29)."
(com Ceará Agora)

domingo, 30 de outubro de 2011

REFLEXÃO DO DOMINGO:ECLESIÁSTICO, 20 - Quando calar e quando falar

1.Há repreensões inoportunas; e há quem se cale, demonstrando ser prudente.
2. Quanto é melhor repreender, do que guardar a cólera!
3. Aquele que confessa a falta, impedirá seu próprio dano.
4. Como a paixão de um eunuco para deflorar uma jovem, assim é aquele que pretende fazer justiça pela violência.
5. Há quem, ficando calado, é reconhecido como sábio; e há quem se torne odioso, por falar demais.
6. Há quem se cale por não ter resposta; e há quem se cale por senso de oportunidade.
7. O sábio se cala até que chegue o momento oportuno; o loquaz e o insensato deixam passar a ocasião.
8. Quem multiplica as palavras se faz detestar, e quem pretende impor-se há de ser odiado. Como é belo que manifeste arrependimento quem foi censurado; pois assim há de evitar uma falta voluntária. Contrastes
9. Alguém pode tirar proveito de seus males, ao passo que uma felicidade inesperada pode transformar-se em dano.
10. Há presentes que não te são proveitosos, e há presentes cuja retribuição deve ser dupla.
11. Há rebaixamentos por causa da glória enquanto outros, após a humilhação, podem levantar a cabeça.
12. Há quem compre muitas coisas com pouco dinheiro e há quem por elas pague sete vezes o seu valor.
13. Com poucas palavras o sábio se torna estimado, enquanto as amabilidades dos tolos se derramam em vão.
14. De nada te serve o presente do insensato, e da mesma forma o do invejoso, que dá por necessidade; pois os seus olhos, em vez de dois, são muitos.
15. Dará pouco e reclamará muito, escancarando a boca à semelhança do pregoeiro; emprestará hoje e exigirá amanhã; detestável é um homem assim!
16. Diz o insensato: "Não tenho amigos, e não há gratidão por meus benefícios".
17. De fato, os que comem de seu pão têm uma língua perversa; e quantas vezes, e quantos, não o ridicularizam! Pois ele não acolhe com reto sentimento o fato de ter, nem o de não ter lhe é indiferente. Males da língua
18. É melhor um passo em falso no chão do que com a língua; pois é assim que, de súbito, ocorrerá a queda dos maus.
19. Um homem grosseiro é como uma estória inoportuna que andará continuamente pela boca de pessoas sem instrução.
20. Da boca do tolo não se aceitará um provérbio, pois ele jamais o enunciará no momento oportuno. Máximas diversas
21. Alguns há, cuja indigência preserva do pecado, os quais na hora do repouso, não terão remorsos.
22. Há quem se perca por respeito humano: e é diante de um insensato que se arruína.
23. Há quem faça promessas ao amigo por respeito humano, e assim adquire de graça um inimigo.
24. A mentira é mancha perversa no homem, mas está sempre na boca dos insensatos.
25. É preferível um ladrão a um mentiroso inveterado, embora a perdição seja a herança de ambos.
26. O vício do mentiroso é uma desonra e a vergonha o acompanha continuamente.
27. Com poucos meios o sábio vai adiante, e o homem prudente agrada aos poderosos.
28. Quem cultiva a terra enche o celeiro, e quem agrada aos poderosos obtém perdão para os delitos.
29. Presentes e dádivas cegam os olhos dos sábios: são mordaça na boca, impedindo as críticas.
30. Sabedoria escondida e tesouro invisível: que utilidade há em ambos?
31. É preferível o homem que oculta sua loucura, àquele que oculta sua sabedoria.
32. É melhor a perseverança inquebrantável na busca do Senhor que, sem mestre, levar adiante a própria vida.

sábado, 29 de outubro de 2011

Lula é diagnosticado com tumor na laringe

"O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva foi diagnosticado com tumor localizado de laringe após realizar exames neste sábado, 29, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.
Após avaliação multidisciplinar, foi definido tratamento com quimioterapia, que será iniciado nos próximos dias. Segundo boletim médico divulgado pelo hospital, Lula está bem e deverá realizar o tratamento em caráter ambulatorial."
(com Estadão e Yahoo Brasil)

PSB DO CEARÁ REALIZA ENCONTRO ESTADUAL NESTE DOMINGO

Com a presença do Governador Cid Gomes, do ex-deputado Ciro Gomes, do Deputado Estadual Zezinho Albuquerque, entre outras lideranças estaduais, o Partido Socialista Brasileiro do Estado do Ceará (PSB-CE) realiza neste domingo (30/10), a partir da 9h, no Hotel Vila Galé, Praia do Futuro seu XI Congresso Estadual.
Na ocasião será feita uma análise da conjuntura política nacional, estadual e local bem como a eleição dos delegados ao Congresso Nacional do PSB que vai acontecer entre os dia 1 e 3 de dezembro em Brasília.
Este Congresso se configura como um dos maiores da história do Partido por reunir seus 128 diretórios municipais com aproximadamente 400 delegados. Serão referendados também os órgãos de representação do PSB que são a Juventude Socialista Brasileira (JSB), a Negritude Socialista Brasileira (NSB), o Sindicalismo Socialista Brasileiro (SSB) e as Mulheres Socialistas.
Outro segmento que busca ocupar espaço no Partido é o LGBT, que ganha corpo em vários estados do País.
O Congresso do PSB Ceará será transmitido em tempo real pela internet, permitindo aos cearenses acompanharem os debates e apresentações a serem realizadas no evento socialista. Será uma iniciativa inédita na vida partidária do Ceará, aproximando o PSB dos inúmeros segmentos sociais que se identificam com o Governo Cid Gomes e a atuação social de inúmeros parlamentares, governantes e lideranças dos movimentos sociais que se organizam em nosso partido.

Serviço:

XI Congresso do PSB CE

Data: 30 de outubro

Hora: 9h

Local: Hotel Vila Galé, Avenida Dioguinho, 41189-Praia do Futuro

Informações: 3254 2147

ENEM: Presidente do Inep se reúne com Justiça Federal no Ceará

"O Ministério da Educação, MEC, confirmou a vinda da presidente do Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais, Inep, Malvina Tania Tuttman, a Fortaleza, nesta segunda-feira (31). A representante do órgão vem à capital cearense para se reunir com a Justiça Federal no Ceará após a anulação parcial das provas do Exame Nacional do Ensino Médio, Enem.
A gestora deve defender diante do juiz da 1ª Vara da Justiça Federal no Ceará, Luís Praxedes Vieira da Silva, a decisão de que somente os 639 alunos do Colégio Christus terão que refazer o exame.
Os estudantes teriam tido acesso a 14 questões da prova antes da aplicação dos testes durante a realização de um simulado na instituição."
(Redação TV Diário)

PREFEITO DE MASSAPÊ REIVINDICA DO GOVERNO DO ESTADO OBRAS PARA MASSAPÊ

Em contato mantido com o blog, o Sr. Prefeito Municipal  de Massapê, João Pontes, solicitou que divulgássemos os ofícios encaminhados pela sua administração ao Sr. Governador do Estado pugnando obras e melhoramentos para o município de Massapê (clique na imagem para ampliar).


clique na imagem para ampliar

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

VOCÊ NASCEU PARA A VITÓRIA: AME A SI MESMO E SE SUPERE

Não são pouco aqueles que têm dificuldade em aceitar a si mesmo. Olham-se no espelho e se sentem o pior dos mortais. Nutrem um pessimismo sobre o futuro e se deixam destruir pela depressão, pela distonia e pelo desânimo. Sempre indago dos meus alunos qual a primeira declaração de amor que se deve fazer na vida. A maioria responde que essa manifestação de sentimento deve ser dirigida, primeiramente aos pais e depois às pessoas com quem nos relacionamos. Mal sabem que estão redondamente enganados. Nossa primeira declaração deve ser conferida a nós mesmos. Aqueles que não se amam são incapazes de amar alguém.
Amar a si mesmo não é um gesto de egocentrismo, mas sim um reconhecimento que somos um templo de Deus. Em nosso interior habita a fagulha divina e por isso somos parte dessa genialíssima obra. Imagine que somos mais de 6 bilhões de homens e mulheres e mesmo a meio de tantas diversidades não há sequer um igual ao outro, nem mesmo os gêmeos univitelinos. Somos únicos e singulares. Por esse razão temos que fazer das nossas vidas algo extraordinário. Afinal, não haverá jamais um Carlos Albuquerque, um Francisco Antônio, uma Maria Fernanda. Somos de fato concebido para construir uma história, mas tudo depende de nossas escolhas. Enquanto nos perdemos pelo desânimo, pelo medo, lá fora o mundo clama por vida, coragem, determinação. Nós não nascemos para a derrota. Basta que você pense na maneira como chegou até aqui: Foram milhões de gametas masculinos se digladiando, brigando ferozmente, muitos ficaram pelo caminho, foi você quem chegou primeiro.
Portanto, ao nascermos, passamos por uma prova de resistência que nos exigiu habilidade, velocidade e meta. Isso nos dá a certeza de que podemos superar os obstáculos, por maiores que eles sejam. Se temos limitações (na saúde, nas finanças etc)elas não serão suficientes para calar nossos sonhos, soçobrar nossos ideais. Basta assistirmos  às paraolimpíadas (atletas especiais) para observarmos que o impossível é mera invenção humana. Aqueles atletas, com todas as suas limitações, deixam-nos uma lição de vida. Eles, na verdade, esqueceram as amarras que o destino lhes pregou, e passaram a ver o mundo com um olhar de possibilidades. Superaram a inércia porque deram asas à imaginação. Ao contrário de ficaram presos num quarto, ou mergulhados no abismo de suas dores, eles se permitiram sonhar, e esse sonho foi ganhando tamanho e forma e se transformando em grandes resultados. Mais dos que as vitórias nas competições esses atletas venceram a si mesmos.
É chegada a hora de amar a si mesmo. Se você não tem a beleza da Angelina Jolie, a  riqueza do Bill Gates, a inteligência do Rui Barbosa,tais constatações não devem lhe levar ao desânimo. Até porque nenhum deles tem a sua essência. Você é único e essa singularidade lhe faz especial. Por isso, ao se olhar no espelho não veja mais um espectro de um derrotado. Mire no seu olhar e diga a si mesmo: Eu faço parte da grande safra de Deus, sou único e especial, nasci para a vitória.

LEÔNIDAS CRISTINO CHEGA HOJE A SOBRAL

"Ministro dos Portos, Leônidas Cristino, desembarca em Sobral no inicio da noite desta sexta-feira (29), onde confere logo mais às 19h, o lançamento do livro "VISCONDE DE SABOIA - A Filosofia como princípio e a Medicina como missão", escrito pelo seu irmão, o médico Gerardo Cristino Filho, em parceria com a historiadora Giovanna Mont’Alverne.O evento acontece no hall da Faculdade de Medicina de Sobral, e é parte integrante da programação do Outubro Médico, encontro cearense de medicina, que acontece em Sobral até amanhã (30)."
(Com Sobral em Revista)

Justiça Federal determina prazo de 72 horas para Inep explicar vazamento das questões

"O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) recebeu prazo de 72 horas para explicar o vazamento das questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O instituto agora deve se manifestar também sobre o pedido do Ministério Público Federal no estado de anulação total ou parcial das provas aplicadas no último fim de semana.
Nesta quinta-feira (27) o MPF propôs ação civil pública pedindo que o Enem fosse cancelado ou que as questões que vazaram na fase de pré-teste, por meio da apostila distribuída pelo Colégio Christus, fossem anuladas. O juiz federal Luiz Praxedes Viera da Silva só deve se manifestar na manhã de segunda-feira (31), após as 72 horas.
O pedido de anulação foi feito após a notícia de que estudantes do colégio Christus receberam uma apostila, semanas antes da prova do Enem, com 14 questões exatamente iguais às do exame nacional. Na fase de pré-teste do Enem, em outubro de 2010, as questões fizeram parte de atividade ofertada aos alunos. Agora a Polícia Federal investiga se houve fraude na aplicação do pré-teste."
 (com Ceará Agora)

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

COLÉGIO LUCIANO FEIJÃO ADOTA O SISTEMA OPEE PARA O ENSINO FUNDAMENTAL EM 2012


Com uma filosofia pedagógica sempre  inovadora, o Colégio Luciano Feijão, em 2012, além da adoção  das novas tecnologias (lousa digital, Sala em 3D, Ipads, livros digitalizados e etc), disponibilizará para os seus alunos do Ensino Fundamental (1º ao 9º ano),  o SISTEMA OPEE - Orientação Profissional, Empreendedorismo e Empregabilidade, organizado pelo renomado conferencista, psicoterapeuta e especialista em educação, Professor Leo Fraiman. Trata-se de um diferencial revolucionário para educação de crianças, preparando-as para a vida, para o mercado de trabalho e para o sucesso profissional. Confira o vídeo e veja como é genial.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

STF CONSIDERA CONSTITUCIONAL O EXAME DA OAB

A exigência de aprovação prévia em exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para que bacharéis em direito possam exercer a advocacia foi considerada constitucional pelo Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF). Por unanimidade, os ministros negaram provimento ao Recurso Extraordinário (RE 603583) que questionava a obrigatoriedade do exame. Como o recurso teve repercussão geral reconhecida, a decisão nesse processo será aplicada a todos os demais que tenham pedido idêntico.
A votação acompanhou o entendimento do relator, ministro Marco Aurélio, no sentido de que a prova, prevista na Lei 8.906/94 (Estatuto da Advocacia), não viola qualquer dispositivo constitucional. Concluíram desta forma os demais ministros presentes à sessão: Luiz Fux, Dias Toffoli, Cármen Lúcia Antunes Rocha, Ricardo Lewandowski, Ayres Britto, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Cezar Peluso.
O recurso foi proposto pelo bacharel João Antonio Volante, que colou grau em 2007, na Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), localizada em Canoas, no Rio Grande do Sul. No RE, ele afirmava que o exame para inscrição na OAB seria inconstitucional, contrariando os princípios da dignidade da pessoa humana, da igualdade e do livre exercício das profissões, entre outros.
Votos
O relator do caso, ministro Marco Aurélio, considerou que o dispositivo questionado do Estatuto da Advocacia não afronta a liberdade de ofício prevista no inciso XIII, artigo 5º, da Constituição Federal, conforme argumentava o bacharel em direito autor do recurso. Para o ministro, embora o referido comando constitucional impeça o Estado de opor qualquer tipo de embaraço ao direito dos cidadãos de obter habilitação para a prática profissional, quando o exercício de determinada profissão transcende os interesses individuais e implica riscos para a coletividade, “cabe limitar o acesso à profissão em função do interesse coletivo”. “O constituinte limitou as restrições de liberdade de ofício às exigências de qualificação profissional”, afirmou o ministro Marco Aurélio, ao citar o próprio inciso XIII, artigo 5º, da Carta Magna, que prevê para o livre exercício profissional o respeito às qualificações estabelecidas em lei.
Primeiro a seguir o voto do relator, o ministro Luiz Fux apontou que o exame da OAB caminha para a inconstitucionalidade se não forem criadas formas de tornar sua organização mais pluralista. “Parece plenamente razoável que outros setores da comunidade jurídica passem a ter assento nas comissões de organização e nas bancas examinadoras do exame de Ordem, o que, aliás, tende a aperfeiçoar o certame, ao proporcionar visão mais pluralista da prática jurídica”, disse.
Para Fux, manter a elaboração e organização do exame somente nas mãos de integrantes da OAB pode suscitar questionamentos em relação à observância, pela entidade, de princípios democráticos e republicanos. “Cumpre à OAB atender às exigências constitucionais de legitimação democrática da sua atuação, que envolve, entre outros requisitos, a abertura de seus procedimentos à participação de outros seguimentos da sociedade”, reiterou. Para o ministro, a forma como o exame é produzido atualmente é uma “falha” que acarretará, no futuro, “a efetiva inconstitucionalidade da disciplina do exame da OAB”.
Antes, porém, ele afirmou que o exame em si é a medida adequada à finalidade a que se destina, ou seja, a “aferição da qualificação técnica necessária ao exercício da advocacia em caráter preventivo, com vistas a evitar que a atuação do profissional inepto cause prejuízo à sociedade”. Luiz Fux ressaltou que o desempenho da advocacia por um indivíduo de formação deficiente pode causar prejuízo irreparável e custar a um indivíduo a sua liberdade, o imóvel em que reside ou a guarda de seus filhos.
“Por essas razões, existe justificação plausível para a prévia verificação da qualificação profissional do bacharel em direito para que possa exercer a advocacia. Sobreleva no caso interesse coletivo relevante na aferição da capacidade técnica do indivíduo que tenciona ingressar no exercício profissional das atividades privativas do advogado”, disse. Ele complementou que “fere o bom senso que se reconheça à OAB a existência de autorização constitucional unicamente para o controle a posteriori da inépcia profissional, restringindo sua atribuição nesse ponto a mera atividade sancionatória”.
Também acompanhando o relator, a ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha fez breves considerações sobre a matéria. Ela frisou que o exame da OAB atende plenamente a regra constitucional que condiciona a liberdade ao trabalho ao atendimento de qualificações profissionais estabelecidas em lei (inciso XIII do artigo 5º da Constituição). O Estatuto da Advocacia, acrescentou ela, foi produzido coerentemente com o que a sociedade, em um Estado democrático, exige da OAB. A ministra afirmou ainda que os provimentos previstos no Estatuto (parágrafo 1º do artigo 8º da Lei 8.906/94) são necessários para regulamentar os exames. “O provimento foi a fórmula encontrada para que a OAB pudesse, o tempo todo, garantir a atualidade da forma de qualificação a ser exigida”, disse.
Em seguida, o ministro Ricardo Lewandowski disse que se aplica ao caso a chamada “teoria dos poderes”, desenvolvida em 1819 na Suprema Corte norte-americana. Reza essa tese que, quando se confere a um órgão estatal determinadas competências, deve-se conferir-lhe, também, os meios para executá-las.
Em sintonia com essa teoria, portanto, conforme o ministro, o Estatuto da Ordem (Lei 8.906/94), com base no artigo 22, inciso XVI, da Constituição Federal, ao regular o exercício da advocacia, conferiu à OAB os poderes para que o fizesse mediante provimento.
No mesmo sentido, segundo ele, o artigo 44, inciso II, do Estatuto da Ordem é claro, ao atribuir à entidade a incumbência de “promover, com exclusividade, a representação, a defesa, a seleção e a disciplina dos advogados em toda a República Federativa do Brasil”.
Por seu turno, o ministro Ayres Britto destacou que o fato de haver, na Constituição Federal, 42 menções à advocacia, à OAB e ao Conselho Federal da OAB já marca a importância da advocacia em sua função de intermediária entre o cidadão e o Poder Público.
Ele citou, entre tais passagens constitucionais, o artigo 5º, inciso XIII, que dispõe ser livre o exercício de qualquer trabalho, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer. Portanto, segundo  Ayres  Britto, o dispositivo faz uma mescla de liberdade com preocupação social, que é justamente o que ocorre com o exame contestado no RE, pois, segundo o ministro, ele é “uma salvaguarda social”.
O ministro ressaltou, também, o artigo 133 da CF,  uma vez que esse dispositivo estabelece que o advogado é indispensável à administração da Justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei.
Também se manifestando pelo desprovimento do RE, o ministro Gilmar Mendes disse que a situação de reserva legal qualificada (o exame da OAB) tem uma justificativa plena de controle. No seu entender, tal controle não lesa o princípio da proporcionalidade, porque o exame contém abertura bastante flexível, permitindo aos candidatos participarem de três exames por ano.
Quanto às críticas sobre suposto descompasso entre o exame da OAB e os currículos das faculdades de direito, Gilmar Mendes disse acreditar que essa questão pode ser ajustada pela própria OAB, em articulação com o Ministério da Educação, se for o caso.
Para o decano da Corte, ministro Celso de Mello, é lícito ao Estado impor exigências com “requisitos mínimos” de capacidade, estabelecendo o atendimento de certas qualificações profissionais, que sejam condições para o regular exercício de determinado trabalho, ofício ou profissão. Segundo o ministro, as prerrogativas dos advogados traduzem meios essenciais destinados a proteger e amparar os “direitos e garantias” que o direito constitucional reconhece às pessoas.
Ainda de acordo com o ministro Celso de Mello, a legitimidade constitucional do exame da ordem é “plenamente justificada”, principalmente por razões de interesse social. Para o decano, os direitos e garantias individuais e coletivas poderão resultar frustrados se for permitido que pessoas “despojadas de qualificação profissional” e “destituídas de aptidão técnica” – que são requisitos “aferíveis, objetivamente pela prova de suficiência ministrada pela Ordem dos Advogados do Brasil" – exerçam a advocacia, finalizou o ministro, acompanhando integralmente o voto do relator.
Os ministros Dias Toffoli e Cezar Peluso acompanharam integralmente o voto do relator.
Fonte: STF

DA CEGUEIRA POLÍTICA À DITADURA DA MEDIOCRIDADE

UMA REFLEXÃO AOS MASSAPEENSES
Resolvi escrever esse texto como uma provocação para que cada um de nós reflita sobre um  tema que mexe profundamente com as nossas emoções: a política com o “p” minúsculo. Principalmente, em se tratando de uma cidade do interior, onde as pessoas cultivam esse hábito de forma radical e apaixonada, o que provoca muitas vezes uma cegueira estúpida e desproposital.
É natural que cada um de nós defenda uma bandeira, torça por um time de futebol, vibre com a vitória de um partido. São circunstâncias inerentes à condição humana que se revela na liberdade de fazer escolhas e tomar opções. Mas é necessário  perceber  que a partida de futebol acaba após os 90 minutos; que as eleições finalizam após a proclamação dos resultados. O que é lamentável é que muitas pessoas não compreendem que em toda competição há um ciclo onde somente um sairá vitorioso. Muito mais ainda é necessário estar consciente que aquele que hoje foi “derrotado”, amanhã poderá ser o que vai ascender ao “pódio”.  Finalizada, portanto,  a competição não se justifica que se protraia no tempo a animosidade e o estado de beligerância, como fôssemos inimigos uns dos outros. Como se a luta travada durante as eleições, devesse permanecer infinitamente.
A consequência desse visão distorcida é o atraso e a perpetuação de políticas clientelistas, voltadas aos interesses mais escusos, malferindo os princípios republicanos. Para os meus, tudo; para os inimigos, nada. Na verdade, essa acepção não é propriedade apenas de um partido é quase um modus operandi de todos.
Particularizo minhas observações a cidade onde moro e vivo desde que nasci. Aqui a política tem uma força avassaladora, capaz de destruir amizades e até mesmo relações familiares mais sólidas. Se pertences a um “lado” nada de bom enxergará no “outro”. Ao contrário, movem-se céus e terras para destruir o inimigo, independentemente que para isto seja necessário mentir, jogar sujo, agir levianamente. Afinal, o inimigo sempre está “errado” e “nunca tem razão”. Embora, amanhã, mais tarde, se atender aos nossos interesses, ele se tornará a melhor pessoa do mundo. Afinal, a “política” é dinâmica.
Pergunto, portanto, aos massapeenses como eu, o que ganhamos com essa visão míope? O  que melhorou em nossa cidade em razão das divisões partidárias e do radicalismo cego. Continuamos engatinhando, a passos lentos, muitas vezes desperdiçando grandes oportunidades porque somos incapazes de nos sentarmos  na mesma mesa como pessoas civilizadas, independente da facção partidária a que pertencemos, para discutirmos o que de fato interessa à nossa população. Na verdade, o que se ver é a defesa dos próprios interesses, daquilo que parece mais favorável ao “a” ou ao “b”. Enquanto isso a população sofre o descaso,o abandono e a falta de oportunidade.
Em umas das postagens anteriores cobrei dos pré-candidatos a prefeito a apresentação de um programa de intenções. Até agora não vi nenhum deles apresentar nada consubstancial de interesse dos massapeenses. Por isso muitas vezes me nego a aceitar a política cega, sem arcabouço argumentativo. Defendo que o interesse público é supremo e deve estar acima das paixões e das motivações partidárias. Muitas vezes  sou criticado por pensar assim. Já me perguntaram de que lado eu estou e eu respondi que estou do lado da justiça. Por assim pensar,  defendo a democracia, a diversidade, a liberdade de expressão, a dignidade da pessoa humana, o respeito à vida e a ética. Não me rotulo e não me aceito pertencente a uma corrente “A” ou “B”. Embora seja filiado a um partido político, isso não me impede pensar de forma diferente dos meus pares.
Quero com isso promover uma reflexão com os meus leitores, particularmente com os meus irmãos massapeenses, sobre as nossas atitudes, aquilo  nos leva muitas vezes  à ditadura da mediocridade. Nada se pensa, nada se constroi, nada se edifica, se continuarmos presos a uma mentalidade retrógrada de fazer política. Finalizo, portanto, valendo-me de uma das maiores inteligências brasileiras, Rui Barbosa, que em um texto maravilhoso  nos deixou uma indelével lição:
“A política afina o espírito humano, educa os povos, desenvolve nos indivíduos a atividade, a coragem, a nobreza, a previsão, a energia, cria, apura, eleva o merecimento.
Não é esse jogo da intriga, da inveja e da incapacidade, entre nós se deu a alcunha de politicagem. Esta palavra não traduz ainda todo o desprezo do objeto significado. Não há dúvida de que rima bem com criadagem e parolagem, afilhadagem e ladroagem. Mas não tem o mesmo vigor de expressão que os seus consoantes. Quem lhe dará o batismo adequado? Politiquice? Politiquismo? Politicaria? Politicalha? Neste último, sim, o sufixo pejorativo queima como ferrete, e desperta ao ouvido uma consonância elucidativa.
Política e politicalha não se confundem, não se parecem, não se relacionam uma com a outra. Antes se negam, se excluem, se repulsam mutuamente. A política é a arte de gerir o Estado, segundo princípios definidos, regras morais, leis escritas, ou tradições respeitáveis.
A politicalha é a indústria de explorar o benefício de interesses pessoais. Constitui a política uma função, ou um conjunto de funções do organismo nacional: é o exercício normal das forças de uma nação consciente e senhora de si. A politicalha, pelo contrário, é o envenenamento crônico dos povos negligentes e viciosos pela contaminação de parasitas inexoráveis. A política é a higiene dos países moralmente sadios. A politicalha, a malária dos povos de moralidade estragada.” (Rui Barbosa)

Espero que essa reflexão desperte um   “novo tempo” para os massapeenses e possa ela abrir os nossos olhos para o que de fato nos interessa: SER FELIZ! e isso exige respeito ao próximo e à diversidade.

STJ EM DECISÃO INÉDITA RECONHECE CASAMENTO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO

"Em decisão inédita, a Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), por maioria, proveu recurso de duas mulheres que pediam para ser habilitadas ao casamento civil. Seguindo o voto do relator, ministro Luis Felipe Salomão, a Turma concluiu que a dignidade da pessoa humana, consagrada pela Constituição, não é aumentada nem diminuída em razão do uso da sexualidade, e que a orientação sexual não pode servir de pretexto para excluir famílias da proteção jurídica representada pelo casamento. O julgamento estava interrompido devido ao pedido de vista do ministro Marco Buzzi. Na sessão desta terça-feira (25), o ministro acompanhou o voto do relator, que reconheceu a possibilidade de habilitação de pessoas do mesmo sexo para o casamento civil. Para o relator, o legislador poderia, se quisesse, ter utilizado expressão restritiva, de modo que o casamento entre pessoas do mesmo sexo ficasse definitivamente excluído da abrangência legal, o que não ocorreu.

“Por consequência, o mesmo raciocínio utilizado, tanto pelo STJ quanto pelo Supremo Tribunal Federal (STF), para conceder aos pares homoafetivos os direitos decorrentes da união estável, deve ser utilizado para lhes franquear a via do casamento civil, mesmo porque é a própria Constituição Federal que determina a facilitação da conversão da união estável em casamento”, concluiu Salomão.

Em seu voto-vista, o ministro Marco Buzzi destacou que a união homoafetiva é reconhecida como família. Se o fundamento de existência das normas de família consiste precisamente em gerar proteção jurídica ao núcleo familiar, e se o casamento é o principal instrumento para essa opção, seria despropositado concluir que esse elemento não pode alcançar os casais homoafetivos. Segundo ele, tolerância e preconceito não se mostram admissíveis no atual estágio do desenvolvimento humano.

Divergência

Os ministros Antonio Carlos Ferreira e Isabel Gallotti já haviam votado com o relator na sessão do dia 20, quando o julgamento começou. O ministro Raul Araújo, que também acompanhou o relator na sessão da semana passada, retificou seu voto. Segundo ele, o caso envolve interpretação da Constituição Federal e, portanto, seria de competência do STF. Para o ministro, o reconhecimento à união homoafetiva dos mesmos efeitos jurídicos da união estável entre homem e mulher, da forma como já decidido pelo STF, não alcança o instituto do casamento. Por isso, ele não conheceu do recurso e ficou vencido.

Raul Araújo defendeu – em apoio a proposta de Marco Buzzi – que o julgamento do recurso fosse transferido para a Segunda Seção do STJ, que reúne as duas Turmas responsáveis pelas matérias de direito privado, como forma de evitar a possibilidade de futuras decisões divergentes sobre o tema no Tribunal. Segundo o ministro, a questão tem forte impacto na vida íntima de grande número de pessoas e a preocupação com a “segurança jurídica” justificaria a cautela de afetar o caso para a Segunda Seção. A proposta, porém, foi rejeitada por três a dois.

O recurso foi interposto por duas cidadãs residentes no Rio Grande do Sul, que já vivem em união estável e tiveram o pedido de habilitação para o casamento negado em primeira e segunda instância. A decisão do tribunal gaúcho afirmou não haver possibilidade jurídica para o pedido, pois só o Poder Legislativo teria competência para insituir o casamento homoafetivo. No recurso especial dirigido ao STJ, elas sustentaram não existir impedimento no ordenamento jurídico para o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Afirmaram, também, que deveria ser aplicada ao caso a regra de direito privado segundo a qual é permitido o que não é expressamente proibido."
Fonte: STJ

BRASIL PASSADO A LIMPO: Senado aprova projeto que garante acesso a documentos públicos

"O plenário do Senado aprovou na noite desta terça-feira projeto de lei que garante e facilita o acesso a documentos públicos nos três Poderes da República, em todos os níveis de governo. Na prática, o projeto acaba com o sigilo eterno de arquivos do governo. O texto segue para sanção da presidente Dilma Rousseff.
A proposta trata de documentos sigilosos, mas também de tudo que for produzido pelos governos federal, estaduais, do Distrito Federal e de prefeituras.
Pelo projeto, nenhum documento poderá ficar mais de 50 anos com acesso restrito. A proposta classifica as informações sigilosas entre: reservadas (5 anos de sigilo), secretas (15 anos) e ultrassecretas (25 anos).
Apenas os ultrassecretos poderão ter uma única renovação do prazo, indo a 50 anos. Questões sobre violações dos direitos humanos não poderão ser classificadas como ultrassecretos.
A partir da sanção, se não houver vetos, o governo terá dois anos para reclassificar os documentos.
RECLASSIFICAÇÃO
O projeto também determina a criação ainda uma comissão Mista de Reavaliação de Informações, composta por integrantes dos três Poderes. Com mandato de dois anos, essa comissão teria o poder, por exemplo, de reavaliar casos de documentos classificados como ultrassecretos, com prazo determinado.
A discussão sobre o prazo para a liberação dos documentos dominou a votação. O senador Fernando Collor (PTB-AL) apresentou seu texto defendendo a previsão de sigilo eterno para documentos classificados como ultrassecretos.
Em mais de uma hora de fala, Collor voltou a dizer que era necessário o país manter salvaguardar de informações de Estado. O petebista reafirmou que a proposta com previsão de sigilo eterno para documentos sigilosos partiu do governo Lula após dois anos de discussão entre ministros e sociedade e que essa matéria atenderia melhor às necessidades do país.
ACESSO
O projeto ainda estabelece que qualquer cidadão poderá requerer informações de governo sem precisar justificar o pedido. A informação terá que ser prestada imediatamente. Caso isso não seja possível, o órgão tem prazo de 20 dias, prorrogáveis por mais 10 diante de justificativa. Há previsão para recurso da decisão negativa de acesso aos documentos.
O serviço de busca e fornecimento de informação é gratuito. Os órgãos poderão cobrar uma taxa de reembolso se houver reprodução dos documentos.Há previsão ainda para que os documentos sejam disponibilizados em formato digital para facilitar análises."
Fonte: Folha On Line

REFLEXÃO: ECLESIÁSTICO 5, 9-15

Na minha vida, a Bíblia é meu guia. É de lá que retiro os melhores ensinamentos e exemplos. Compartilho como vocês um dos trechos que mais aprecio, para que cada reflita sobre ele neste início de dia: 
"Não peneire o grão em qualquer vento, nem siga qualquer direção. Seja constante no modo de pensar e seja coerente na maneira de falar. Esteja pronto para ouvir e lento para dar respostas  Se você for capaz, responda a seu próximo; se não for, fique calado. Falar pode trazer honra ou também pode trazer  desonra,  e a língua pode ser sua ruína. Não tenha fama de caluniador, nem use a língua para preparar armadilhas, porque para o ladrão existe a vergonha, e para o homem falso uma condenação severa. Evite erros grandes e pequenos, e de amigo não se transforme em inimigo."

terça-feira, 25 de outubro de 2011

ÚLTIMOS DIAS PARA INSCRIÇÃO DA 2ª CORRIDA LUCIANO FEIJÃO

clique na imagem para aumentar

Universidade Estadual Vale do Acaraú recebe homenagem pelos seus 43 anos

"A Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), com sede em Sobral, receberá nessa terça-feira (25) homenagem da Assembleia Legislativa pelos seus 43 anos comemorados no último domingo (23). A sessão solene  realizar-se-á  no Plenário 13 de Maio, com início às 19 horas.
O deputado Professor Teodoro (PSD), ex-reitor da instituição, atribui à universidade o papel de gerar desenvolvimento do ensino superior no Norte do Ceará, agindo como “centro para difusão de conhecimentos”. Segundo o parlamentar, a UVA é a segunda maior universidade estadual cearense, dispondo de cursos de graduação e mestrado, e com atuação em mais de cem municípios.
Na ocasião, será prestada uma homenagem ao primeiro reitor da UVA, monsenhor Francisco Sadoc de Araújo, que completa 55 anos de sacerdócio neste mês de outubro e 80 anos de vida em novembro."
(com Ceará Agora)

SOBRE A MATÉRIA DO DIÁRIO DO NORDESTE QUE TRATA DE SUPOSTA DECRETAÇÃO DE PRISÃO DO PREFEITO DE MASSAPÊ

Sobre a notícia divulgada no Diário do Nordeste, no dia de hoje (25/10), que trata sobre a possível decretação da prisão do Prefeito de Massapê, João Pontes, deixei de divulgá-la por entender que se trata de uma matéria sensacionalista e despida do menor embasamento jurídico. Não conheço do processo, todavia sabe-se que no ordenamento jurídico brasileiro não cabe prisão por dívida, salvo de prestação alimentar, o que me parece não ser o caso.
No tocante ao suposto  crime de desobediência praticado por João Pontes, o qual está  tipificado no art. 330 do CPB, a pena cominada ao delito é de quinze dias a seis meses, o que implica dizer que se trata de uma infração de menor potencial ofensivo, cujo procedimento adotado será o previsto na  Lei 9.099/95. E em se tratatando de uma infração de menor potencial ofensivo, não haverá para o agente a  possibilidade de prisão, por vedação expressa da própria lei (art.19, § único) e consectário natural de sua interpretação.
Por dever da verdade, esclareço tais fatos porque "aquilo que não quero para mim, não desejo para os outros."

ESCLARECIMENTO DO BLOG: Pela reação dos leitores nos comentários e com o objetivo de melhor esclarecer a matéria que escrevi neste espaço (acima), devo dizer-lhes que me restringi a fazer uma análise jurídica do fato da suposta decretação da prisão do prefeito. Não disse aqui que não sou solidário à família enlutada, até porque  é incomensurável a dor de um pai diante da perda de um filho. Muito menos afirmei que o Sr. João Pontes não deverá pagar a indenização aos familiares da vítima. Para isto, há na lei  instrumentos cabíveis. Apenas expressei minha opinião, no meu humilde conhecimento jurídico, que não vejo, no caso concreto, a menor possibilidade, conforme noticiado na matéria do jornal, de tais fatos resultarem na privação de liberdade do prefeito. Por outro lado, aceito as críticas daqueles que pensam diferente de mim. Entretanto, não fujo dos meus princípios,muito menos das minhas convicções. 

A DIFÍCIL TAREFA DE SER LÍDER: RESPONSABILIDADE X CONIVÊNCIA

Talvez uma das maiores dificuldades que temos na vida corporativa e no âmbito pessoal é compreendermos o conceito de liderança. Destaquei, nesse contexto, a vida pessoal pois lá também o exercício da liderança deve ser vicenciado em sua plenitude sob pena do soçobramento da harmonia entre seus membros e, por corolário, do desmoronamento dos valores familiares. Não se há de distinguir ser líder em casa ou no trabalho. Ambas situações se entrelaçam de forma indissociável.
Suas ações em família indicam sua atuação no trabalho. Se em casa sua relação é pautada pelo desrespeito, pelo absenteísmo, pela falta de compromisso, torna-se-á óbvio que tais práticas transcenderão o espaço do lar e refletir-se-ão na sua atividade laborativa. Daí entendermos que o exercício da liderança começa no recôndito do lar e, por extensão metafórica, no espaço íntimo de nossos pensamentos. Melhor dizendo: Tudo começa de dentro para fora.
É claro que precisamos afinar nossos instrumentos, primeiramente, na vida pessoal: equilíbrio nos gastos do orçamento familiar, criar espaço para uma relação em família sob o imperativo do diálogo, organizar seu tempo para as necessidades urgentes e prioritárias, saber cobrar responsabilidades, cuidar da saúde, implicando abstinência ao exagero.
Com essas experiências vivenciadas, só então estaremos aptos a nos tornarmos líderes no mundo corporativo. Lembro-me da máxima do maior orador sacro da língua portuguesa, autor de "Os Sermões", Padre Antônio Vieira: Só o exemplo educa. Parafraseando o eminente escritor, di-lo-ei: Só o exemplo nos torna um líder.
Seremos capazes de convencer, de motivar o outro, de exercitarmos a liderança plena, à medida que nossas ações correspondam ao nível de nossas exigências. Se falamos algo, cobramos algo, mas fazemos diferentes, não estamos inspirando, educando, ao contrário, impelimos o outro a agir com uma personalidade travestida, mascarada. Só a transparência é capaz de convencer. Se você é austero, continue austero; se você prima pela perfeição, continue primando pela perfeição. Pior seria se tornar uma personagem mutável ao calor das ocasiões, transparecendo algo que não lhe é próprio. Para ser líder não é necessário um sorriso constante no rosto, uma caridade inútil, um gesto de cortesia exagerado.
Ser líder, na verdade, é ser coerente, é ser você mesmo. Se seu jeito de ser não é agradável a todos, fazer o contrário para parecer bacana é tão irreal quanto querer armazenar a água do mar numa cumbuca. Seja você mesmo, afinal todos nós somos diferentes. Mas se permita rever seus atos, corrigir suas ações.
Outro ponto que reputo de real preocupação é reduzirmos o conceito de liderença a uma permissividade na ação praticada pelo subordinado, além da aceitação indecorosa da atitude irresponsável e incompetente de um liderado. Tudo em nome da bondade, da empatia. Não digo que ser empático seja um defeito, pelo contrário, admito a empatia como uma das maiores qualidades de um líder. O que me leva a questionar é que muitas vezes não saímos da zona de conforto pelo medo de magoar o outro e , como consequência, aceitamos que nossos liderados pratiquem as piores atrocidades.
Não percebemos, entretanto, que a nossa omissão em não corrigi-lo, chamá-lo à responsabilidade, porá em risco o futuro de uma empresa e o que é mais grave, atingirá inocentes, mormente aqueles que com zelo e compromisso dedicam sua vida ao trabalho. Dessa forma entendo que o exercício da verdadeira liderança perpassa pelo compromisso de enxergar o coletivo como fim último, inarredável, sob pena de um só apodrecer todo o cacho de uvas.
Finalizo, por dizer, que ao analisarmos a aceitação dos nossos subordinados ao nosso jeito de liderar, tenhamos cuidado com os aplausos em demasia, com os elogios gratuitos. Muitas vezes tais manifestações são apenas frutos do expediente da bajulação. Afinal, há uma máxima há muito reverenciada que diz: "O segredo do sucesso não se sabe. Do fracaso, é querer agradar a todos".

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

PROFESSORES VAIAM GOVERNADOR EM SOBRAL

Foto Armando Costa
"A festa de assinatura da ordem de serviço para internalização da fiação do centro histórico de Sobral, não foi nada agradável para o governador e autoridades que o acompanhavam no palanque montado na Margem Esquerda do Rio Acaraú. Um grupo de professores e estudantes não estiveram presentes só para acompanhar o belíssimo Show do cantor Zeca Baleiro, mas também para protestar contra governador sobralense.

O prefeito Veveu Arruda (PT) primeiro a falar, enaltecendo e reconhecendo o trabalho de Cid Gomes (PSB) era sempre acompanhado de vaias, se estendendo também no discurso do governador, segundo orador.
Cid (PSB) político habilidoso e democrático, antes de iniciar seu discurso chamou um dos manifestantes para se pronunciar e relatar o motivo de tanta tensão, sendo prontamente atendido pelo jovem professor Jander Alcântara que deu a seu modo uma dica ao governador sobre o que diz a respeito dos profissionais da educação, e finalizando rogou a Deus que Cid nunca mais fosse governador do estado.

Após a fala do jovem manifestante, Cid disse que estava muito triste por ter sido em sua cidade – Sobral – tão forte manifestação e que como prefeito por duas vezes, elevou e mudou a realidade da educação sobralense, exemplar com índices elevados e premiações por todo o Brasil.

Aplausos mesmo só foram ouvidos quando Cid Gomes, pronunciou a frase que não seria mais candidato a nada, pois, já havia sido reeleito governador do Estado e a justiça não permite que recorra a mais um cargo público. Com voz embargada, Cid Gomes terminou seu discurso, mostrando as obras que já fez para o povo sobralense e tentando explicar o motivo pelo qual disse que o professor deveria trabalhar por amor. "

Articulações de Cid Gomes dão mais jogos do Mundial e Confederações ao Ceará

"A escolha do Ceará para sediar seis jogos da Copa do Mundo e três da Copa das Confederações surpreendeu até os mais otimistas. Outros estados, como o próprio Rio Grande do Sul, foram preteridos pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) e pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF). E a boa notícia foi fruto de articulações do governador Cid Gomes junto às entidades representantes do esporte.
O próprio chefe do Executivo estadual não queria tanto, mas recebeu de presente do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, os nove jogos internacionais. Fortaleza será palco de dois jogos da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2014. A presidente Dilma Rousseff esperava ver Porto Alegre como sede de partidas da Copa das Confederações, mas seu desejo não foi atendido por Teixeira.
Apesar de ter nascido em Minas Gerais, Dilma tem forte ligação com o Rio Grande do Sul, onde reconstruiu sua vida e ajudou a fundar o Partido Democrático Trabalhista (PDT). Nos bastidores, a decisão de Ricardo Teixeira de deixar o Rio Grande do Sul fora da competição de 2013, é entendida como demonstração de força para a presidente da República."

(com Ceará Agora)

sábado, 22 de outubro de 2011

NÃO DEIXE NADA PARA OCASIÕES ESPECIAIS

Costumamos imaginar o tempo como algo manipulável e que sempre está à nossa disposição. Estabelecemos nossos  projetos para o futuro e, quando adiamos o cronograma de execução, por uma desculpa ou outra,  somos suficientemente prepotentes a ponto de imaginar que mais uma vez o tempo irá esperar nossa demora.
Vandré  já dizia que “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”. Algo nos parece enigmático: Podemos controlar o tempo, adiando nossos planos e projetos? Somos senhores do tempo? Ledo engano, afinal o tempo não para. O que temos de concreto é o dia de hoje, mais precisamente o agora. Esse raciocínio impõe refletirmos sobre muitos aspectos de nossas vidas em que deixamos o tempo passar e as oportunidades irem com ele, ficando um rastro de frustração.
Quantas vezes na vida não guardamos aquele whisky escocês, a lingerie francesa, o vestido daquele costureiro famoso para uma “ocasião especial”. Ficam lá envelhecidos pelo tempo, esperando o momento oportuno de entrar em cena. Adiamos até mesmo aquela sonhada declaração de amor pois, quem sabe um dia, não aparece a princesa ou o príncipe dos sonhos pueris. Chegamos ao cúmulo de postergar até o perdão, ou talvez o sorriso para aquele desafeto. Tudo isso fazemos porque imaginamos para cada coisa um dia no futuro, uma circunstância que seja mais propícia. Aprendemos, pelo horizontalismo cartesiano, a dividir nossas vidas pelos dias da semana, pelos meses e  anos. Esse convencionalismo brutal e arbitrário nos afasta do que é óbvio: O que temos de fazer tem que ser agora sob pena de que não  haja mais tempo para realizá-lo.
Imagine aquele empresário, de origem pobre,  que alimentou tantos sonhos de um dia, no futuro,  viajar com os filhos pela Europa, mas antes porém precisava ganhar dinheiro, muito dinheiro. A viagem já tinha até data marcada(no ano tal). Ocorre que um ataque cardíaco fulminante atravessou seu caminho e sucumbiu sua vida. De fato ele arriscou no futuro, esqueceu-se, entretanto,  de perceber  que a vida não se conta pelos dias mas sim pelos momentos. E quantos de nós ainda estamos esperando algum dia  no futuro para começar a estudar pra valer, para iniciar a academia, frequentar aquele curso , abraçar os filhos, fazer dieta e etc. Lamentável, mal sabemos quantos segundos nos restam, mas cometemos a asneira de adiar sempre os planos e projetos como se a finitude, destino implacável de cada ser humano , não nos concitasse a viver o agora com a intensidade que lhe é devida, apreciando cada instante como se fosse único,aproveitando o sabor das coisas boas e sentindo-lhe o gosto derradeiro.
Se vivêssemos cada dia como se fosse o último, teríamos uma vida intensa e abundante. Não perderíamos tempo com discussões burlescas, com rancores infrutíferos, com  debates intermináveis, com intrigas que não nos leva à nada. Na intensidade desse único dia que ainda restava , saberíamos aproveitar mais a beleza das coisas  simples e valorizaríamos mais as pessoas, que muitas  vezes nos estão tão próximas e ao mesmo tempo tão distantes. Olharíamos a família, o irmão, o outro com um olhar de acolhimento, de uma saudade consentida, e  faríamos, daquele momento último, uma entrega absoluta, incondicional.
E vivendo o dia como se fosse último, aprenderíamos que não há uma data  para amar, perdoar, construir. O que há de fato é o agora para colocar os planos em ação, os sonhos  em execução, sem se permitir tergiversar,  procrastinar. Por isso, não guarde as coisas para uma ocasião especial. Todo dia é dia para se comemorar e realizar. 

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

STJ:Casamento civil homoafetivo tem quatro votos favoráveis e julgamento é interrompido

"Se é verdade que o casamento civil é a forma pela qual o Estado melhor protege a família, e sendo múltiplos os arranjos familiares reconhecidos pela Carta Magna, tal opção não poderá ser negada a nenhuma família, independentemente da orientação sexual dos participantes, pois as famílias constituídas por pares homoafetivos detêm os mesmos princípios daquelas constituídas por casais heteroafetivos, que são a dignidade das pessoas e o afeto.O entendimento do ministro Luis Felipe Salomão, relator do processo que discute a possibilidade de habilitação de pessoas do mesmo sexo para o casamento, foi seguido por três ministros da Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). O julgamento foi interrompido pelo pedido de vista do ministro Marco Buzzi, último a votar. O processo trata de duas cidadãs do Rio Grande do Sul que recorreram ao STJ, após terem o pedido de habilitação para o casamento negado na primeira e na segunda instância. A decisão do tribunal gaúcho afirmou não haver possibilidade jurídica para o pedido. No recurso especial, elas sustentaram não existir impedimento no ordenamento jurídico para o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Afirmaram, também, que deveria ser aplicada ao caso a regra de direito privado de que é permitido o que não é expressamente proibido. Em seu voto, o ministro Salomão afirmou que a dignidade da pessoa humana não é aumentada nem diminuída em razão do concreto uso da sexualidade das pessoas, salvo quando é usada com intenção de negar a dignidade e a liberdade de outro, como ocorre nos casos de crimes sexuais. “O sexo, entendido como gênero – e, por consequência, a sexualidade, o gênero em uma de suas múltiplas manifestações –, não pode ser fator determinante para a concessão ou cassação de direitos civis, porquanto o ordenamento jurídico explicitamente rechaça esse fator de discriminação”, observou".
 Fonte: STJ

Provas do Enem já estão em Fortaleza

"As provas do Enem já estão em Fortaleza. Elas estão armazenadas dentro do 23 BC Batalhão de Caçadores, no bairro de Fátima. Um grupo de soldados faz a segurança do material durante 24 horas. Todas as provas estão lacradas.
O Enem será realizado neste sábado (22) e domingo (23) em todo o Brasil a partir das 13h (horário de Brasilia)."
(com Roberto Moreira)

De olho nas eleições, PSDB declara guerra a Cid Gomes e Luizianne

"O PSDB do Ceará mantém os olhos fixos nas eleições de 2012, quando pretende voltar à cena política com papel determinante. Na preparação para a disputa pela Prefeitura de Fortaleza, o partido declara guerra ao governador Cid Gomes e à prefeita Luizianne Lins. Os tucanos preparam propagandas fortes contra o chefe do Executivo estadual. Em uma delas, há com cenas fortes de violência, ocorridas durante as tentativas de negociação com os professores, que chegaram a ficar em greve por mais de dois meses.
Luizianne Lins também é alvo de inserções do partido. O PSDB afirma que a prefeita conseguiu se reeleger com a ajuda do seu principal cabo eleitoral, Cid, e não honrou os compromissos de campanha. A sigla, comandada no estado pelo ex-deputado estadual Marcos Cals, quer deixar em evidência a postura de oposição à Prefeitura e ao Governo do Estado."
Fonte: Ceará Agora

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

SUPER AULÃO ENEM COMEÇA HOJE COM RECORDE DE PÚBLICO

Daqui a pouco, no Centro de Convenções de Sobral, uma galera composta de 650 jovens estará participando do Super Aulão de Véspera Enem do Colégio Luciano Feijão. Informamos, ainda, que as inscrições para  o aulão já se encerraram em vitude do limite máximo do auditório do Centro de Convenções. Pedimos  desculpas aqueles que procuraram a escola e não foi mais possível realizarem a inscrição.

DILEMAS DO BRASIL: UM PAÍS INJUSTO


Há alguns dias comentava neste blog sobre a importância da universalização dos direitos como instrumento de minimização da violência. Trato melhor por dizer que o estado de injustiça social é uma alavanca disseminadora da revolta e da desorientação de uma  sociedade.
O Brasil, por excelência, tem perpetuado de forma sublimada o sistema de “castas”, uma vez que tem privado à maioria de seus filhos o acesso às necessidades básicas. Por sua vez, um grupo restrito controla a seu favor  os mecanismos de produção de riqueza, ostentando-se com seus lucros e dividendos. Na outra via, milhões de miseráveis encontram nos programas assitencialistas uma forma alternativa de sobreviver.
O Brasil é um país injusto. Sua herença colonial deixou um ranço patrimonialista que se apropria do Estado como propriedade sua fosse. A riqueza só é legítima quando  auferida pelo suor do trabalho, não por mecanismos fraudulentos ou pilhada sob argumentos históricos de constituição patrimonial forjadas das capitanias hereditárias.
Urge olharmos a guerra civil travada nas ruas. Cidadãos e deliquentes se conflitam e o bem mais precioso – a vida – é banalizada. O medo e o pavor se tornaram parceiros do cotidiano. Notícias de violência são veiculadas e muitas vezes não mais despertam a indignação. Essa anemia social gera a impotência e com ela surge a aceitação do triste quadro como se ele fosse um resultante de circusntância natural e seria, se ocorrese na excepcionalidade, não dá forma como estamos fadados a assistir. E quando um crime gera maior atenção, surge o time dos salvadores da pátria propondo modificações nas leis penais, imaginando que elas, se mais gravosas, terão um efeito intimidatório. Talvez essa tese seja válida, entretanto  entendo que a coercibilidade, por si só, só intimida aqueles que têm a proporção do seus atos, o que não é o caso da maioria dos deliquentes.
Nesse contexto paira uma evidência: é preciso diminuir esse enorme fosso social que alija as pessoas do processo de inserção no meio onde vivem. Tudo isso gera revolta e alimenta a academia do crime. Por outro lado, é vital um choque de valores, proporcionando o resgate da família e da espiritualidade. Sem equilíbrio e valores, tenham certeza, não há Nação próspera. É preciso, portanto, superarmos o ostracismo histórico e alavancarmos, de vez, este país sob a égide da Justiça Social.