quinta-feira, 8 de junho de 2017

RECLAMAR NÃO RESOLVE O PROBLEMA!!

É bastante comum as pessoas atribuírem o insucesso a motivos que lhes são externos: famílias, governos, instituições etc. Essa mentalidade retrata uma transferência de responsabilidade que na maioria das vezes serve de justificativa para os nossos fracassos. Culpar alguém é muito melhor que assumir a culpa. Esse pacto de mediocridade interpessoal faz com que muitos se utilizem da cruel vitimização para dar respostas a uma vida sem brilho, sem projetos, sem realização.
Ao culparmos os outros por nossas desventuras, estamos atribuindo a eles a responsabilidade sobre o nosso insucesso. Isso de fato é bastante cômodo porque não exige uma investigação sobre as causas e muito menos uma ação concreta no sentido de superar aquele estado  de inércia. Se fracassamos, a culpa é do professor, do pai, do vizinho, do político,  quem sabe até da cegonha. Nesse contexto nos permitimos enveredar pelo ciclo vicioso  da zona de conforto.
E haja culpados para tanto fracasso. Será  uma existência inteira de lamentações. Pior ainda  para quem vai ter que ouvir e conviver com esse rosário de lamúrias. Com certeza vocês já partilharam do convívio de pessoas que preferem valorizar suas desgraças a  lutar para transformar as realidades que lhe são adversas. Apontam seus culpados, ao contrário de perceberem que são eles próprios, na maioria das vezes, a razão de seus infortúnios. Esquecem-se da lição básica de avaliar os seus erros, de reconhecer suas omissões. Tornam-se algozes de si mesmos, atiram-se no abismo de suas desventuras.
Dessa tragédia do conformismo cego, devemos colher boas lições. Uma delas é percebermos que se fracassamos, parcela ou quase totalidade desse fatídico resultado, advém dos nossos próprios erros. Faltou-nos coragem e audácia. Deixamos de enxergar o mundo pelas possibilidades  e optamos por aceitar os horizontes sombrios de uma existência pífia, morna e amorfa.
Talvez alguns de vocês tenham a vontade de me dizer que o que  ora escrevo não tem sentido, pois desconheço sua história pessoal. Mais ou menos isso: “Se você soubesse  como é a minha vida, com certeza me daria razão....” Lamento desapontá-lo mas mesmo a meio das maiores intempéries e dos invernos existenciais  pelos quais você passa,  nada justifica o fracasso que se ampara no imobilismo, na ausência de ação, na aceitação imotivada.
 Já disse antes e repito: Nascemos para a vitória. Basta que façamos as escolhas certas. Isso, entretanto, impõe trabalho, determinação e foco. Muito mais ainda nos exige amor próprio e vontade de construir uma história diferente, motivada pela singularidade que é peculiar à nossa própria existência; somos únicos e há em cada um de nós uma inarredável vocação para a vida em plenitude. Vida que viceja vida. Vida que se dinamiza, se transforma e se renova.

                              Por isso, antes de atribuir a alguém seus fracassos, olhe para dentro de si mesmo e se redescubra como um ser capaz de superar o comodismo, as limitações. Siga em frente como quem olha o mundo com os olhos de criança. Um olhar de quem sonha e acredita, de quem supera os obstáculos  pela fé e pela certeza de que aqui estamos, fruto de uma vontade sublime e divina, para construir uma grande história. Não deixe, portanto, de ser o ator principal da sua vida

segunda-feira, 29 de maio de 2017

TJCE, Governo e Prefeitura entregam escritura de imóvel para mais de 1.400 famílias de Fortaleza

O Judiciário cearense, o Governo do Estado e a Prefeitura de Fortaleza entregaram a escritura definitiva de imóvel para mais de 1.400 famílias da Capital. Participaram do evento, realizado no Ginásio Poliesportivo da Parangaba, nesse sábado (27/05), o desembargador Paulo Airton Albuquerque Filho, representando o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), o governador Camilo Santana, secretários e parlamentares estaduais e municipais.
De acordo com Paulo Airton Albuquerque, o TJCE fez a análise jurídica do programa, inclusive com aprovação da redução de 70% das taxas cartorárias, por meio de atuação da Corregedoria-Geral. “É um projeto institucional com importância social muito grande. O registro imobiliário é o ato que dá a propriedade, trazendo toda a segurança jurídica ao dono.”
O governador destacou que a ação beneficia pessoas de baixa renda que estão há anos anos esperando e ainda não tinham providenciado o documento por conta do custo. “Essa ação conjunta visa registrar todos os empreendimentos habitacionais de Fortaleza, onde as pessoas, 20 ou até 30 anos depois, não receberam o documento da propriedade, do apartamento ou da casa. Essa entrega dá a segurança de que o imóvel é da família, que pode ser deixado de herança, ser dado em garantia. Além de trazer cidadania, garante o direito legal da propriedade.”
Entre os beneficiados está a aposentada Francisca Lenira Nobre de Macêdo, de 78 anos. Ela comprou o apartamento, localizado no bairro Maraponga, em 1988, e conta que não fez o registro por conta do valor alto. “Recebo apenas um salário mínimo, preciso comprar remédios e ainda tenho dificuldades de locomoção. Meu filho mora em Rondônia. Essa iniciativa veio em boa hora porque conclui o meu sonho da casa própria. Estou muito feliz. Agora eu posso dizer que é meu.”
A iniciativa faz parte do programa “Papel da Casa”, que tem a finalidade de facilitar a legalização da propriedade. A parceria entre as três instituições, que existe desde agosto de 2013, beneficia pessoas que financiaram imóveis construídos pela Companhia de Habitação do Ceará (Cohab).
Com a escritura definitiva, as pessoas podem fazer o registro no cartório. Essa regularização ocorre por meio de isenções e descontos de impostos e taxas cobrados pelas serventias extrajudiciais. Com a medida, o custo passa de R$ 6.500,00 para cerca de R$ 500,00.
A meta é beneficiar 22.877 famílias moradoras de conjuntos habitacionais. Até o momento, foram entregues mais de 4.700 escrituras.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Des. Paulo Albuquerque representa TJCE na entrega da escritura de imóvel para famílias carentes da Capital

O desembargador Paulo Airton Albuquerque Filho, representando o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), participa da entrega da escritura de imóvel para mais de 1.400 famílias de baixa renda de Fortaleza. O evento ocorrerá neste sábado (27/05), a partir das 9h30, no Ginásio Poliesportivo da Parangaba, com a presença do governador Camilo Santana e do prefeito da Capital, Roberto Cláudio.
A iniciativa faz parte da campanha “Papel da Casa”, que tem a finalidade de facilitar a legalização da propriedade dos imóveis, por meio de descontos e isenções de taxas e impostos. É uma parceria entre Governo do Estado, Prefeitura de Fortaleza e TJCE, que existe desde 13 de agosto de 2013.
SERVIÇO
Evento: Entrega da escritura de imóvel para pessoas de baixa renda
Data: 27 de maio de 2017 (sábado)
Horário: 9h30
Local: Ginásio Poliesportivo da Parangaba
Endereço: Av. General Osório de Paiva, 352, bairro Parangaba, Fortaleza

terça-feira, 16 de maio de 2017

Dr. RONALDO DIAS CARNEIRO PRESTARÁ SERVIÇOS MÉDICOS NO HOSPITAL DE MASSAPÊ

Soube agora pela manhã que logo mais às 14 horas, desta terça-feira(18/05), o meu amigo-irmão RONALDO DIAS CARNEIRO, toma posse como médico no Hospital e Maternidade Ana Paulino de Aguiar, no município de Massapê.

A CIDADE SE SINTA FESTIVA PORQUE GANHOU UM DOS MAIORES PROFISSIONAIS DA MEDICINA DO CEARÁ!!!


Conheço o Dr. Ronaldo há mais de 20 anos. Tenho o privilégio de desfrutar da sua amizade. Trata-se de um ser humano extraordinário e um profissional competentíssimo. Tem um espírito bondoso e acolhedor. Sabe tratar as pessoas com o carinho e o respeito necessários. Valoriza os mais simples e tem para eles sempre uma palavra amiga.

Ronaldo trabalhou aqui conosco, no hospital municipal, durante a administração do meu irmão Robério Júnior. Quando saiu deixou uma legião de amigos e admiradores.

Seja bem vindo a nossa terra !!!!! Deus o proteja nesta nova missão. 


quarta-feira, 3 de maio de 2017

TRIBUTO AO DESCONHECIDO


Vi um vencedor cair na estrada...
Montado em seus sonhos...
o Mundo não mais lhe cabia.
Seu doce perfume tornou-se odor desagradável.

A utopia ficou mais distante!!
Somente seus versos teimavam em ruflar os tambores.
Na doce melodia de um recomeço, ele tombou, em um único instante,  distante de tudo e de todos.

E antes que a 
luz do alvorecer lhe fizesse ressurgir para um mundo de feras, a luz divina  lhe arrebatou para o cântico dos anjos.

Ele trazia consigo todas as incompreensões de um mundo selvagem, de rostos que se entrecruzavam mas não se viam, de braços que não mais anunciavam o amor, de gestos fáceis mas carregados de futilidade.

E assim ele viveu, nas contradições, nas dores e no desengano. 
Mas sem nunca perder, a sua maneira, o  jeito próprio de viver... longe das luzes da ribalta, mas com o coração cheio de ternura. E quando a morte lhe pegou de repente, ele que  foi feliz ao seu modo, a recebeu de pronto e lhe disse: Eu sou apenas um rapaz latino-americano...

terça-feira, 25 de abril de 2017

Processo sob a relatoria do Desembargador Paulo Albuquerque condena o Município de Canindé por não repassar à Caixa Econômica dinheiro descontado de servidoras

O município de Canindé foi condenado a pagar R$ 15 mil por reter valores em contracheques de cinco servidoras, e não repassá-los à Caixa Econômica Federal. A decisão, da 1ª Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), manteve sentença de 1º Grau e teve a relatoria do desembargador Paulo Airton Albuquerque Filho. “A conduta restou consubstanciada quando o município de Canindé realizou o desconto da parcela no contracheque das servidoras e não o repassou para a instituição financeira credora”, disse.
Constam nos autos que as servidoras públicas firmaram com a Caixa Econômica Federal contrato de crédito consignado, sendo os valores relativos às prestações descontados em seus contracheques pelo ente público, que assumiu a obrigação de repassá-los à instituição financeira. Em certo momento, foram surpreendidas com os nomes nos cadastros de inadimplentes.
Ao buscarem informações sobre o ocorrido, descobriram que a administração efetuava a retenção do dinheiro, mas não repassava ao banco. Por isso, em 2013, ajuizaram ação na Justiça com pedido de indenização por danos morais.
Na contestação, o município alegou culpa do gestor anterior, que não efetuou o repasse dos valores. Disse que a atual gestão buscou negociação junto à Caixa para saldar a dívida e pediu a improcedência da ação.
O Juízo da 1ª Vara da Comarca de Canindé determinou o pagamento de R$ 3 mil em indenização por danos morais para cada servidora. Por isso, o ente público apelou (nº 0012006-75.2013.8.06.0055) ao TJCE requerendo a reforma da sentença, ratificando as explicações da contestação.
Ao julgar o caso, 1ª Câmara de Direito Público negou provimento ao recurso e manteve a decisão de 1º Grau. “O dano ocorreu com a inscrição dos seus nomes nos órgãos de restrição ao crédito e, por fim, o nexo causal, vez que, não obstante a inserção indevida tenha sido realizada pela Caixa Econômica Federal, a negativação em foco teve como origem a circunstância do ente municipal não ter repassado as prestações descontadas à instituição bancária”, explicou o relator no voto.

sexta-feira, 7 de abril de 2017

O MESTRE DOS MESTRES : No Lava-Pés uma lição de liderança


Uma das coisas que mais nos chama a atenção numa relação de trabalho é o exercício da liderança. Sempre disse que ninguém melhor do que Jesus Cristo soube nos ensinar a essência de ser líder.Uma das lições mais marcantes, os católicos rememorarão na Quinta-Feira Santa, ocasião em que ouviremos o Evangelho de São João que narra a cerimônia do Lava-Pés.Naquela época lavar os pés dos convidados era atribuição dos servos (escravos) das casas. Jesus de forma súbita resolveu lavar os pés dos seus discípulos. Naquele momento todos ficaram estupefatos.

Não entendiam como Aquele a quem eles chamavam de "Mestre" e "Senhor" fosse se rebaixar a tal ponto. Pedro, como sempre destemperado, recusou-se a permitir que o Senhor o lavasse os pés e somente mudou ideia quando Jesus disse-lhe que se não lhe lavasse os pés, Pedro não mais teria parte com Ele.

Após lavar os pés dos apóstolos, Jesus explicou aquele gesto: "Se vocês me chamam de Senhor e eu Sou e assim agi. Sigam este exemplo e lave os pés um dos outros". Na verdade Jesus demonstrou que a verdadeira liderança está na "humildade" e no "servir". O líder é aquele que abre as janelas da alma e contamina os demais pelo amor, pela compaixão e pelo respeito.

Essa provocação nos permite refletir sobre como nos comportamos como líderes. Muitas vezes nos deixamos levar pela arrogância, pela prepotência, quando desempenhamos uma função superior a outrem. Parece até que criamos uma clausura, uma proteção, uma armadura em torno do poder. Não sabemos, pobres mortais, o quanto o poder é passageiro.

Jesus, o filho do Deus Vivo, rompeu com todos os paradigmas sobre liderança. Mostrou-nos que nada supera a humildade, a empatia, bem como o respeito e a confiança em seus liderados. Tornou homens incautos - pescadores - verdadeiros vendedores de esperança e de sonhos.Eis por que sua mensagem arrebatadora transformou a história da humanidade. 

É no Cristo que encontramos a fonte de onde bebericamos os mais profundos ensinamentos. Nada melhor, nesta Semana Santa, que aprofundarmos o nosso conhecimento em Cristo. Não se trata de um mero discurso religioso. Falo, na verdade, de uma teologia viva, operante, transformadora. Independente da crença que você tenha no filho de Deus, as palavras de Jesus, por si só, são lições que provocam em cada um de nós uma metamorfose na forma como concebemos as coisas.
Ao nos depararmos com seus ensinamentos, saímos da cegueira dos nossos interesses egoísticos e nos transformamos em homens e mulheres livres, abertos ao mundo e solidários ao próximo.