Pular para o conteúdo principal

Bagagem cultural é decisiva para a redação do Enem, POR ANDREA AMARAL

Livros doados pela comunidade ajudam pacientes em recuperação
A redação do Enem é como a vida: não basta conhecer a técnica, é preciso ter conteúdo. No caso dos jovens, que ainda estão em fase de construir experiências, a melhor forma de adquirir conteúdo é o contato com textos literários.

O Enem pede uma redação que mostre capacidade de relacionar ideias e contextos, encadear argumentos, escrever de acordo com a norma culta, propor alternativas lógicas para resolver problemas. Parece simples, mas, para fazer um texto que vá além da técnica, é preciso ser um leitor.

Como escrever sobre reforma agrária sem ter se emocionado com o “Funeral de um Lavrador” (Chico Buarque) ou “Morte e Vida Severina” (João Cabral de Melo Neto)? Como escrever sobre a polêmica entre censura e liberdade de expressão, sem conhecer “É proibido proibir” (Caetano Veloso), “Apesar de você” (Chico Buarque), os cartuns de Henfil ou “Os Estatutos do Homem” (Thiago de Mello)?

Como falar de preconceitos e inclusão sem mergulhar na letra de “Dia de Graça”, de Candeia? Como tratar de ecologia ou dos conflitos entre o urbano e o rural sem conhecer “Triste Berrante”, de Adauto Santos? Como dissertar sobre a complexidade da vida sem ter lido que “viver ultrapassa todo entendimento”, como escreveu Clarice, ou que “uma parte de mim é todo mundo, e outra parte é ninguém: fundo sem fundo”, nas palavras de Ferreira Gullar?

Nesse ponto o Brasil é um país privilegiado, não só pela riqueza da sua literatura, mas também da sua música. Queiramos ou não, essas e tantas outras narrativas vão formando nossa identidade, nossas visões de mundo. Somos lavrados pelas reflexões e emoções que os textos nos provocam, pelas atitudes que eles inspiram.

O fenômeno de meio milhão de zeros e apenas 256 notas máximas na prova de redação do Enem deixa uma questão, não só para os estudantes do ensino médio, mas para todos nós, cidadãos digitais. Nesse amálgama de informações, falta tempo para mergulhar com a devida atenção nas mensagens de romances, poemas e músicas que são os pilares de nossa cultura. Quem ficar o tempo todo apenas em redes sociais poderá constituir uma identidade rica e plural? Poderá aportar conteúdo criativo e transformar o esqueleto de “introdução – meio – conclusão” numa página viva, colorida, instigante e consistente?

Provavelmente, estamos vendo o impacto de uma fase de transição. É possível que nós e as próximas gerações aprendamos a selecionar e editar mais e melhor esse enorme fluxo de informações. 

Um papel decisivo é o dos professores, que podem levar para a sala de aula toda a riqueza de nossos mais belos textos. Enquanto isso, eles continuam lá, esperando por nós para ser desvendados e, sutilmente, mudar nossas vidas.

Foto: Reprodução/TV Tem

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

DESEMBARGADOR PAULO ALBUQUERQUE É DESTAQUE NO JUDICIÁRIO CEARENSE

O Presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, Des. Francisco Glaydson Pontes, nomeou o massapeense, Desembargador Paulo Albuquerque, como membro efetivo da Comissão de Regimento, Legislação e Jurisprudência da Egrégia Corte de Justiça do nosso Estado. Apesar do pouco tempo no exercício da magistratura do 2º Grau, o massapeense Paulo Albuquerque vem sendo reconhecido pelos seus pares como um magistrado dotado de probidade, talento e capacidade de gestão. A produtividade de seu gabinete é destaque na justiça cearense. PARABÉNS !!!

HOMENAGEM ÀS MÃES: UM DOS MAIS BELOS TEXTOS QUE JÁ LI

Resolvi homenagear às mães com esse texto que considero uma das mais belas páginas já escritas pela inteligência humana. Neste azo, quero cumprimentar a minha adorável mãe Terezinha Albuquerque e à minha esposa e companheira de todas as horas Marlúcia, mãe do meu bem mais precioso.
Retrato de Mãe
Uma simples mulher existe que, pela imensidão de seu amor, tem um pouco de Deus; e pela constância de sua dedicação, tem muito de anjo; que, sendo moça, pensa como uma anciã e, sendo velha, age com as forças todas da juventude; quando ignorante, melhor que qualquer sábio desvenda os segredos da vida, e, quando sábia, assume a simplicidade das crianças; pobre, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama, e, rica, empobrecer-se para que seu coração não sangre ferido pelos ingratos; forte, entretanto estremece ao choro de uma criancinha, e, fraca, entretanto se alteia com a bravura dos leões; viva, não lhe sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam, e, morta, tudo o que so…

CANALHICE DO SISTEMA POLÍTICO: OTÁRIO É O POVO BRASILEIRO!