quinta-feira, 17 de novembro de 2016

QUEM SABE FAZ A HORA: SAIA DA ZONA DE CONFORTO

Sempre digo aos  aos colegas de trabalho  do Colégio Luciano Feijão a frase: Se parar, a bicicleta cai. Vamos para cima! Parece uma assertiva jocosa, mas tem na sua essência um ensinamento muito profundo. Não sei quem é seu autor, todavia sua importância para o nosso debate é vital.

Muitas vezes não conseguimos sair da nossa zona de conforto. Fazemos as mesmas coisas sempre da mesma maneira e esperamos resultados diferentes (contraditório, não!). Repetimos nossas ações de forma conservadora e sucumbimos nas nossas inações. Deixamos de antever cenários, nos perdemos na miopia da falsa convicção.

Tudo isso ocorre porque muitas vezes não nos damos conta de que o mundo lá fora mudou e está mudando todos os dias. As pessoas mudaram. Os processos são outros. Cada dia são novos horizontes de oportunidades e linhas de pensamentos que se ampliam. Novos tratados morais são formulados, teorias tantas são propostas. Novas tecnologias são disponibilizadas. 

Nesse bombardeio de inovações, situam-se nossos patrões, clientes e parceiros. Se não soubermos evoluir junto com eles nos tornaremos obsoletos e perderemos o bonde da história( e claro o emprego!). Como nos preleciona Augusto Cury, é preciso que sejamos resilientes, isto é, capazes de nos adaptarmos ao "novo", ao "diferente", embora o novo muitas vezes pareça loucura. Eclesiastes já dizia que via na loucura  a sabedoria(no limite, é claro).

Outro grande mal que nos prejudica é o de resistir as mudanças. Aí vem mais uma vez a proteção a nossa zona de conforto. Colocamo-nos sempre na retaguarda, avistando como inimigo aquele que vem nos propor fazer diferente. Para nos defendermos, utilizamos o pífio argumento "de que aquilo não vai dar certo, da maneira como fazíamos é melhor". Não nos damos a oportunidade de vislumbrar a paisagem sob um novo olhar, com mais profundidade, com mais sensibilidade. É aquela velha "rede de dormir" que precisa ir para a lavanderia, mas costumamos adiar sua ida até o limite da suportabilidade. Afinal, a rede nova parece áspera.

É preciso, portanto, reinventar nosso acervo de paradigmas.Enxergar uma nova maneira de fazer e de criar. Traçar novos projetos e, claro, executá-los. Estudar bastante, compreendendo essa diretiva não somente como a assimilação dos assuntos que dizem respeito ao nosso trabalho nas suas especificidades, mas falo, na verdade, de uma cultura geral que perpassa pela literatura, arte,filosofia, sociologia e diversas outras áreas do conhecimento.

Ocorre que a realização plena dessa revolução interna dependerá da superação da zona de conforto. Afinal, é preciso trabalhar mais, ler mais, criar mais. Isso tem um preço: Levantar mais cedo da cama, organizar seu tempo; nos finais de semana e após o expediente diário, colocar suas leituras em dia, elaborar seu planejamento e seus projetos. Não negligenciar aquele curso que está fazendo. Epa! tem mais: Olha a caminhada diária que era para ter iniciado ontem no ano e até agora não se tornou uma rotina em sua vida, sob o pseudo argumento da falta de tempo. Já dizia Nuno Cobra que se você não encontrar tempo para melhorar a sua saúde, vai ter que encontrar muito tempo para cuidar de suas doenças.

Aqui não se trata de atribuições para um super-homem. Não! são tarefas plenamente realizáveis desde que tenhamos disciplina e determinação para tanto. Por isso, devemos traçar uma programação diária de nossas atividades, organizando as ações conforme a prioridade. Tudo isso nos fará melhores e nos proporcionará além da saúde intelectual, o bem-estar físico e emocional. Vamos começar hoje!!!  Lembremo-nos dos versos de Geraldo Vandré: VEM, VAMOS EMBORA, QUE ESPERAR NÃO É FAZER. QUEM SABE FAZ A HORA. NÃO ESPERA ACONTECER.

Um comentário:

  1. José Ronaldo Dias Carneiro21 de novembro de 2016 21:16

    Amigo-Irmão Carlinhos , " A vida é igual andar de bicicleta. Para manter o equilíbrio é preciso se manter em movimento " ( Albert Einstein ). Proatividade é valoroso atributo ! Emblemática é a citação de Fernando Pessoa : " O êxito está em ter êxito e não em ter condições de êxito. Condições de palácio tem qualquer terra larga , mas onde estará o palácio se não o fizerem ali ? " Um proativo sabe que a adversidade é o melhor dos mestres. Um reativo sente-se vítima perante uma adversidade. Para citar Mahatma Gandhi : " Você nunca sabe que resultados virão de sua ação. Mas se você não fizer nada , não existirão resultados." " Somos a transformação que queremos no mundo " . Charles Chaplin salienta a imperiosa necessidade de atitude e mudança : " Cada segundo é tempo para mudar tudo para sempre ".

    ResponderExcluir