Pular para o conteúdo principal

Seu filho é viciado em internet?, POR ANDREA AMARAL(G1)

Menino usa tablet
Recebi a seguinte consulta de uma mãe, R.D.: "Meus filhos, de 7 e 8 anos, estão viciados em internet. Começou aos poucos: games no final de semana, redes sociais, grupos de Whatsapp. Agora são muitas horas por dia, chegam a passar um fim de semana inteiro jogando".

A mensagem continua: "Às vezes eu mesma acabo estimulando, chego do trabalho muito cansada e os dois, mais o cachorro, pedindo para brincar. Sem energia para nada, dou um ossinho para o cachorro e libero o tablet para as crianças. No restaurante, eles só ficam quietos se deixo usar o celular. Agora se tornou uma bola de neve: eles estudam pouco, convivem cada vez menos e pediram para sair da aula de futebol".

O problema vivido por R.D. não é um caso isolado. De fato, o vício em internet é crescente entre crianças e jovens. Uma pesquisa realizada em 2014 por uma organização canadense mostra que 16% dos jovens entre 18 e 25 anos passam mais de quinze horas por dia na web. Estudos realizados em outros países reportam índices similares.

Neste ano, um adolescente chinês cortou a própria mão por desespero ao não conseguir desligar a internet. Na China, são 24 milhões de viciados. Alguns pais chineses afirmam que o vício destruiu as suas famílias. Não é um exagero, pois sabe-se que os efeitos da dependência em internet podem ser tão devastadores psíquica e socialmente como os causados pelo alcoolismo e pelas drogas. Além disso, pode haver complicações como déficit de atenção, hiperatividade ou depressão. Na China, há pelo menos 400 centros especializados nesse atendimento.

Como lidar com isso?
A primeira medida é preventiva: diversificar as atividades da criança, com espaços programados para leitura, esportes, lazer, estudo e deveres de casa.
Segundo: limitar o uso de eletrônicos – uma hora por dia é o suficiente, podendo expandir um pouco nos finais de semana.
Terceiro: dar o exemplo e estimular o convívio em casa, dialogando com os filhos, fazendo as refeições juntos.

Quando o vício já está instalado, a alternativa mais indicada é encaminhar o caso para um acompanhamento de psicólogos ou psiquiatras especializados nessa patologia. Analogamente ao que ocorre nos casos de dependência química, o tratamento pode precisar envolver membros da família.

Teste rápido

Se você responder SIM a pelo menos quatro destas perguntas, existe risco de seu filho estar viciado em internet.

•    Seu filho conseguiria ficar sem usar internet por uma semana?
•    Quando você pede para desligar os eletrônicos ele costuma reagir de forma negativa ou agressiva?
•    Seu filho aceita facilmente trocar uma atividade que envolve internet por outro programa, como sair com a família, brincar, praticar um esporte ou ir ao cinema?
•    Conectar-se à internet é a primeira coisa que seu filho faz ao acordar, antes mesmo de tomar café da manhã?
•    Ele fala em excesso sobre games, redes sociais e eventos que, na maioria, acontecem apenas dentro da web?
•    O tempo que seu filho passa conectado vem aumentando nos últimos 12 meses?
•    A internet já foi motivo de brigas na sua casa?
•    Quando seu filho vai à casa de amigos, costuma pedir para usar o computador ou a senha da rede wi-fi, ou usa o celular em excesso?
•    Em locais em que não é possível usar eletrônicos, você percebe mudança de comportamento, como ansiedade, nervosismo, impaciência, agressividade ou dispersão?
•    Nos últimos 12 meses, seu filho deixou de fazer deveres ou estudar para ficar na internet, ou houve alguma queda nas notas por causa da web?
•    Nos últimos 12 meses, seu filho pediu para sair de alguma atividade como aulas de esportes ou idiomas, ou programas familiares, e acabou usando esse tempo para ficar na internet?
•    Você tem a impressão de que seu filho poderia aproveitar melhor a infância ou a adolescência se a internet não existisse?
Foto: Reprodução/TV Globo

Comentários

  1. José Ronaldo Dias Carneiro15 de maio de 2015 13:42

    Nobre Amigo-Irmão Carlinhos, se falsearmos a visão da unidade tridimensional do Homem, assim como Deus o quis, chegaremos a desvios lamentáveis. Destarte, pertinente a reflexão de Celso Neto: " Se eu entrar na internet mais vezes do que entrar em oração, então minha espiritualidade estará vulnerável."

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

HOMENAGEM ÀS MÃES: UM DOS MAIS BELOS TEXTOS QUE JÁ LI

Resolvi homenagear às mães com esse texto que considero uma das mais belas páginas já escritas pela inteligência humana. Neste azo, quero cumprimentar a minha adorável mãe Terezinha Albuquerque e à minha esposa e companheira de todas as horas Marlúcia, mãe do meu bem mais precioso.
Retrato de Mãe
Uma simples mulher existe que, pela imensidão de seu amor, tem um pouco de Deus; e pela constância de sua dedicação, tem muito de anjo; que, sendo moça, pensa como uma anciã e, sendo velha, age com as forças todas da juventude; quando ignorante, melhor que qualquer sábio desvenda os segredos da vida, e, quando sábia, assume a simplicidade das crianças; pobre, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama, e, rica, empobrecer-se para que seu coração não sangre ferido pelos ingratos; forte, entretanto estremece ao choro de uma criancinha, e, fraca, entretanto se alteia com a bravura dos leões; viva, não lhe sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam, e, morta, tudo o que so…

DICA DE LIVRO: JESUS, O MAIOR LÍDER QUE JÁ EXISTIU, de Laurie Beth Jones

Sempre tenho falado da importância do exercício da liderança, tanto na vida profissional, como pessoal. Como fruto dessa necessidade indico o livro JESUS, O MAIOR LÍDER QUE JÁ EXISTIU, de Laurie Beth Jones (Editora Sextante). A autora é consultora de marketing e conferencista de renome nos Estados Unidos. O livro trata sobre os princípios de liderança de Jesus Cristo e como podem eles ser aplicados no trabalho, gerando crescimento, harmonia e realização. Numa abordagem espirituosa, a autora compara Jesus a um empresário que montou uma equipe de 12 pessoas que estava longe de serem perfeitas, mas conseguiu treiná-las e motivá-las para cumprirem sua missão com sucesso. Nesse contexto, o livro mostra um modelo de gestão baseado em três categorias de forças: autodomínio, ação e relações. Entre as frases geniais do livro, destaco: "Esperar o tempo perfeito é uma grande desculpa e uma racionalização para se ficar parado e não fazer nada." (pág. 44); "Os líderes que compartilha…

DICA DE LIVRO: AUTO DA BARCA DO INFERNO, de Gil Vicente

Ainda da Coleção Clássicos Saraiva, indico para leitura a obra "O AUTO DA BARCA DO INFERNO", do humanista português Gil Vicente. Inicialmente destaco que Gil Vicente é um importante autor da literatura portuguesa e foi o fundadador do teatro em Portugal. Situada no limiar entre a Idade Média e o Renascimento, no período que ficou conhecido como Humanismo, entre os séculos XV-XVI, a obra vicentina é um atestado exemplar dessa transição de costumes e valores. Tendo temática de base religiosa, seu teatro consegue harmonizá-la com elementos profanos. "O auto da barca do inferno" é a obra mais famosa de Gil Vicente e um clássico do teatro de língua portuguesa. Seu tema central são as personagens que, mortas, são conduzidas à barca que as levará ao Inferno ou Paraíso. As cenas retratam o diálogo jocoso que cada um dos pecadores trava com o Anjo e com o Diabo. São muitas os personagens sociais que fazem parte do drama: Frade, Sapateiro, Fidalgo, Alcoviteira, Enfocado e ou…