sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Oposição organizada e sistemática, POR CRISTIANA LÔBO

Primeiro, num almoço de parlamentares, o PSDB decidiu lançar candidato próprio à presidência da Câmara (ainda que o governo tenha maioria para eleger um dos seus) e, ao mesmo tempo, fazer obstrução até que fosse votado decreto sobre conselhos populares. No meio da tarde, o senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), que foi vice na chapa presidencial tucana, foi à tribuna do Senado dizer que não aceita a proposta de diálogo na forma feita pela presidente reeleita Dilma Rousseff, aproveitando para fazer duras críticas a ela e ao PT pelo tom da campanha.
À noite, Aécio Neves divulgou um vídeo no qual agradece os votos recebidos e cita duas frases: a primeira, de Eduardo Campos, "não vamos desistir do Brasil", e a segunda, de seu avô Tancredo, "não vamos nos dispersar".

Essas ações encadeadas demonstram que o PSDB pretende fazer oposição organizada e sistemática ao governo Dilma  o que já começou. "Fechamos o dia com chave de ouro, que foi a derrota do decreto presidencial sobre os conselhos populares", disse o tucano Bruno Araújo (PE).

Ainda que o resultado da eleição presidencial tenha sido o mesmo, a derrota, desta vez os tucanos avaliam que há algo diferente no ar. Para eles, há o desejo do eleitor de Aécio Neves de manter a vigília sobre o governo de Dilma Rousseff; o eleitor quer que as ações do governo sejam contestadas pela oposição, explica Bruno Araújo. "Agora há ressonância de nossa ação aqui", disse o tucano. 

O líder da bancada do PSDB na Câmara, deputado Antonio Imbassahy (BA), postou em seu perfil nas redes sociais a foto em que eles comemoravam em plenário a primeira derrota imposta ao governo Dilma após a vitória da petista sobre Aécio. Segundo o oposicionista, a foto foi "curtida" por 2 milhões de usuários. A mesma coisa, segundo os tucanos, foi a receptividade ao vídeo de Aécio, no qual ele fala das diferentes condições da disputa.

"É evidente que, a esta altura, nós gostaríamos de estar comemorando outro resultado, mas, pela primeira vez desde 2002, há receptividade para a tarefa de acompanhar o governo", observou Imbassahy.

A pequena diferença de votos de Dilma sobre Aécio, cerca de 3,4 milhões de votos, também dá aos tucanos novo ânimo para fazer oposição sistemática. Eles pretendem que essa oposição seja feita a partir do Congresso, por meio da bancada, buscando incorporar o eleitor que ficou descontente com o resultado. Sem perder de vista os preceitos da constituição e as bases da democracia.

Pelo que indicam esses primeiros passos, depois de três derrotas consecutivas na corrida presidencial, parece que o PSDB aprendeu a fazer oposição. Ele está sendo ajudado inclusive por fatias de descontentes cujos partidos estão na base governista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário