Pular para o conteúdo principal

ISTO É QUE É ERRATA, por Merval Pereira


A presidente Dilma insiste em criticar sua adversária mais próxima, a candidata do PSB Marina Silva, por supostas mudanças de posição “como se muda de camisa”. E sua campanha resolveu copiar a do outro adversário, Aécio Neves do PSDB, que teve uma bela sacada para alfinetar Marina: disse que seu programa de governo parece ter sido escrito a lápis, numa alusão à facilidade com que é alterado.
A campanha da presidente Dilma explora tanto as erratas feitas por Marina em seu programa que se esquece de olhar as próprias erratas, muito mais graves. O erro do IBGE com relação ao combate à desigualdade foi vergonhoso, e não “banal” como a presidente classificou. E ontem a expectativa oficial sobre o crescimento da economia este ano foi revista em nada menos que 50%: caiu de 1,8% para 0,9%. Mesmo assim, é uma previsão super otimista, pois o boletim Focus prevê uma economia crescendo míseros 0,3%. Vem nova errata aí.
Os dois adversários, como aliás Marina denunciou, estão juntos nessa fase final do primeiro turno na expectativa de derrotar Marina, Dilma por que considera mais fácil vencer o candidato do PSDB, e Aécio por que está convencido de que quem for para o segundo turno derrota a presidente Dilma. Tentam recolocar a campanha nos termos em que se sentem mais confortáveis, isto é, polarizada entre PT e PSDB.
De fato, tanto Dilma quanto Aécio prepararam-se para mais um embate entre tucanos e petistas, e, com Campos no páreo, tudo indicava que Aécio se daria melhor, pois tem o apoio de uma máquina partidária mais forte do que a do PSB. Não há indicações para prever se Campos poderia surpreender, transformando-se em um fenômeno eleitoral, mas sua morte transformou a campanha, introduzindo nela um fator emocional de que estava carente.
Refiro-me não apenas ao choque que a morte trágica do ex-governador de Pernambuco provocou, mas à própria figura da candidata Marina Silva, que tem um ar mítico que ajuda a lhe dar credibilidade. É como comentou o jornal inglês Financial Times: se Marina representa, ela é uma boa atriz.
A entrada de Marina no páreo subverteu as normas políticas não escritas que levariam a disputa para um segundo turno entre Dilma e Aécio, os candidatos que possuem mais esquema partidário, mais máquina eleitoral, mais tempo de televisão para a propaganda oficial.
Marina virou tudo de cabeça para baixo, chegando à frente da presidente Dilma até hoje nas pesquisas eleitorais de segundo turno, com apenas dois minutos e pouco de tempo de propaganda e uma máquina partidária pequena e que, mesmo assim, não responde ao seu comando. Marina está vencendo em regiões em que as máquinas partidárias do PT e do PSDB são mais fortes, e está conseguindo quebrar um pouco a hegemonia petista no nordeste.
Caso a campanha de desconstrução tenha êxito, ela pode chegar ao segundo turno depauperada, ou nem chegar lá, superada no último momento pelo candidato Aécio Neves. No primeiro caso, Marina terá o mesmo tempo de propaganda que Dilma para tentar retomar a dianteira, valendo-se do “discernimento” do eleitorado brasileiro para identificar o que classifica de mentiras e distorções do “marketing selvagem” adotado pelos adversários.
Para superar esses problemas, terá que fazer um acordo programático com o PSDB que dê ao eleitor ressabiado a garantia de governabilidade. Em todo caso, o vice-presidente Michel Temer já se adiantou a uma eventual derrota para dizer que o apoio a Marina dependerá apenas dela, pois o PMDB sempre se colocou como o garantidor da democracia brasileira, e assim continuará atuando caso a nova presidente queira incluir o partido na sua base de apoio. Como o vice de Marina, Beto Albuquerque, já admitiu que “ninguém governa sem o PMDB”, essa questão parece superada.
Caso Aécio consiga superar Marina e vá para o segundo turno, melhorando a performance do PSDB em São Paulo e Minas, resta uma dúvida: terá condições de recuperar os votos do nordeste, que hoje estão divididos entre Dilma (48%) e Marina (31%), com os tucanos pegando uma fatia que não chega a 10% do eleitorado?
Essa é a conta básica para a disputa do segundo turno, já que a chegada do PSDB de virada poderá concretizar no segundo turno a votação sonhada em Minas e São Paulo, fortalecendo Aécio no 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

HOMENAGEM ÀS MÃES: UM DOS MAIS BELOS TEXTOS QUE JÁ LI

Resolvi homenagear às mães com esse texto que considero uma das mais belas páginas já escritas pela inteligência humana. Neste azo, quero cumprimentar a minha adorável mãe Terezinha Albuquerque e à minha esposa e companheira de todas as horas Marlúcia, mãe do meu bem mais precioso.
Retrato de Mãe
Uma simples mulher existe que, pela imensidão de seu amor, tem um pouco de Deus; e pela constância de sua dedicação, tem muito de anjo; que, sendo moça, pensa como uma anciã e, sendo velha, age com as forças todas da juventude; quando ignorante, melhor que qualquer sábio desvenda os segredos da vida, e, quando sábia, assume a simplicidade das crianças; pobre, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama, e, rica, empobrecer-se para que seu coração não sangre ferido pelos ingratos; forte, entretanto estremece ao choro de uma criancinha, e, fraca, entretanto se alteia com a bravura dos leões; viva, não lhe sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam, e, morta, tudo o que so…

DICA DE LIVRO: JESUS, O MAIOR LÍDER QUE JÁ EXISTIU, de Laurie Beth Jones

Sempre tenho falado da importância do exercício da liderança, tanto na vida profissional, como pessoal. Como fruto dessa necessidade indico o livro JESUS, O MAIOR LÍDER QUE JÁ EXISTIU, de Laurie Beth Jones (Editora Sextante). A autora é consultora de marketing e conferencista de renome nos Estados Unidos. O livro trata sobre os princípios de liderança de Jesus Cristo e como podem eles ser aplicados no trabalho, gerando crescimento, harmonia e realização. Numa abordagem espirituosa, a autora compara Jesus a um empresário que montou uma equipe de 12 pessoas que estava longe de serem perfeitas, mas conseguiu treiná-las e motivá-las para cumprirem sua missão com sucesso. Nesse contexto, o livro mostra um modelo de gestão baseado em três categorias de forças: autodomínio, ação e relações. Entre as frases geniais do livro, destaco: "Esperar o tempo perfeito é uma grande desculpa e uma racionalização para se ficar parado e não fazer nada." (pág. 44); "Os líderes que compartilha…

DICA DE LIVRO: AUTO DA BARCA DO INFERNO, de Gil Vicente

Ainda da Coleção Clássicos Saraiva, indico para leitura a obra "O AUTO DA BARCA DO INFERNO", do humanista português Gil Vicente. Inicialmente destaco que Gil Vicente é um importante autor da literatura portuguesa e foi o fundadador do teatro em Portugal. Situada no limiar entre a Idade Média e o Renascimento, no período que ficou conhecido como Humanismo, entre os séculos XV-XVI, a obra vicentina é um atestado exemplar dessa transição de costumes e valores. Tendo temática de base religiosa, seu teatro consegue harmonizá-la com elementos profanos. "O auto da barca do inferno" é a obra mais famosa de Gil Vicente e um clássico do teatro de língua portuguesa. Seu tema central são as personagens que, mortas, são conduzidas à barca que as levará ao Inferno ou Paraíso. As cenas retratam o diálogo jocoso que cada um dos pecadores trava com o Anjo e com o Diabo. São muitas os personagens sociais que fazem parte do drama: Frade, Sapateiro, Fidalgo, Alcoviteira, Enfocado e ou…