sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Guimarães reconhece divergências, mas comemora manutenção da aliança


O vice-presidente do PT, José Guimarães, que se despediu do gabinete de liderança da sigla na Câmara dos Deputados na última quarta-feira (18), admitiu, em balanço dos trabalhos do Congresso em 2013, as rusgas existentes entre seu partido e o PMDB, principal partido da base aliada da presidente Dilma Rousseff.
O maior desafio deste ano, segundo o deputado, foi a relação de disputa e parceria entre as duas maiores bancadas da Casa. “Por isso, é a relação mais difícil, mas também mais saudável. Porque tem diálogo”, ponderou.
Apesar de assumir as divergências, Guimarães comemorou a manutenção da dobradinha e apontou para um “amadurecimento” do Congresso, construído politicamente “ora na divergência, ora na disputa, ora no consenso construído a partir do dissenso”.
“Estamos chegando ao final do ano com um ou outro arranhão, mas, no fundamental, com a base unida”, complementou, dizendo, ainda, que o aperfeiçoamento das relações do PT não foi só com o PMDB, mas sim com todos os demais partidos da base como PSD, PR, PP, dentre outros.
Para 2014, ano eleitoral, José Guimarães espera que essa boa relação conquistada seja preservada.
(com Ceará News)

Nenhum comentário:

Postar um comentário