segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Moradores do interior do Ceará aguardam instalação de cisternas do Governo Federal


Seis meses após o anúncio feito pela presidenta Dilma Roussef, da liberação de 130 mil cisternas aos atingidos pela seca na região Nordeste, nem a metade da meta foi cumprida. De acordo com levantamento da Folha de S. Paulo, 59 mil foram entregues no prazo estipulado (julho).
A ideia de acelerar a entrega de cisternas até meados do ano tem um motivo climático. É nesse período que se encerra a época de chuvas --ainda que escassas-- na região do semiárido. Os moradores que receberam as cisternas no prazo e tiveram a sorte de contar com alguma chuva conseguiram armazenar essa água para enfrentar mais um período de meses de estiagem.
De abril até agora, segundo o governo federal, 125 mil reservatórios foram entregues e o governo federal gastou R$ 437 milhões na aquisição das cisternas. Em municípios do interior do Ceará, como Acopiara (a 355 km de Fortaleza) e Canindé (a 118 km da capital), as cisternas de polietileno já se integraram à paisagem local: elas se acumulam em depósitos a céu aberto à espera de instalação.
Moradores da região se cadastraram desde o início do ano para recebê-las. Sem os reservatórios, eles não podem nem armazenar água dos carros-pipa. A única alternativa é, diariamente, encher baldes nos poucos açudes que ainda não secaram.
*Com Folha de S. Paulo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário