sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Tá deCIDido! Grupo liderado por Cid Gomes deixa o PSB


Zezinho, Domingos Filho, Cid, Leônidas e Ciro Gomes ouvem atentamente as opiniões dos correligionários
Mais de 300 filiados do PSB endossam saída do partido
Os emissários Roberto Claudio e Zezinho Albuquerque
Cinco partidos fizeram convites e, assim, estão no páreo para receber o grupo do governador Cid Gomes, que ontem anunciou a saída coletiva do PSB. PDT, PP, PSD, PCdoB e o recém-criado PROS são as opções. Entre os irmãos do governador, Ivo Gomes foi o único a manifestar preferência. Por ele, o rumo seria o PDT. A decisão pelo novo partido será tomada na próxima terça-feira, às 19 horas, em reunião no Marina Park Hotel.

Na reunião desta quinta-feira (26), estavam mais de 300 correligionários de Cid, entre prefeitos, vereadores e deputados estaduais e federais, e ficou combinado que o prefeito Roberto Cláudio vai neste final de semana ao Rio de Janeiro, acompanhado do presidente do PDT no Ceará, deputado André Figueiredo, conversar com o presidente nacional do partido, Carlos Lupi - em outro sinal de certo favoritismo pela sigla.

Ao presidente da Assembleia, deputado Zezinho Albuquerque, caberá ir nesta sexta-feira (27) ao Recife, para acertar com o presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, os detalhes da desfiliação e formalizar a garantia, já verbalizada pelo pernambucano, que de os que saírem não terão mandatos questionados por infidelidade partidária.

O secretário estadual da Saúde, Ciro Gomes, ficou encarregado de se reunir, em Fortaleza, com a militância do PSB para colher propostas programáticas que entrem nas negociações com o novo partido.

Segundo Cid, a fase agora é de ouvir líderes políticos para tentar equacionar as peculiaridades municipais com os critérios ideológicos que serão considerados na escolha do novo partido - o qual, ressalta Cid, necessariamente tem de ter definido apoio a Dilma Rousseff.

“A questão ideológica será levada em conta. Precisa ser um partido progressista, social-democrata. Não cogitarei nenhum partido que não tenha o posicionamento prévio de apoiar a Dilma” disse o governador.

Entre os aliados que pretendem disputar mandato em 2014, há certa preferência pelo PROS, que, por ser recém-criado, garante segurança jurídica aos futuros filiados de não perder o mandato, independente do aval prometido por Campos. Outro recém-criado, o Solidariedade foi descartado pelo apoio ao presidenciável Aécio Neves (PSDB). “Só dois partidos têm novos registros. Um deles já tem alinhamento com a direita brasileira e não nos intressa”, disse Ciro.

Fonte: Jornal O Povo /Via Sobral em Revista

Nenhum comentário:

Postar um comentário