Pular para o conteúdo principal

UMA ALERTA PARA O MUNDO: MUDANÇA CLIMÁTICA MATA 315 MIL POR ANO

"A mudança climática mata cerca de 315 mil pessoas por ano, de fome, doenças ou desastres naturais, e o número deve subir para 500 mil até 2030, segundo um relatório divulgado nesta sexta-feira pelo Fórum Humanitário Global (FHG), entidade com sede em Genebra.
O estudo estima que a mudança climática afete seriamente 325 milhões de pessoas por ano, e que em 20 anos esse número irá dobrar, atingindo o equivalente a 10 por cento da população mundial da atualidade (6,7 bilhões).
Os prejuízos decorrentes do aquecimento global já superam os 125 bilhões de dólares por ano - mais do que o fluxo da ajuda dos países ricos para os pobres - e devem chegar a 340 bilhões de dólares por ano até 2030, segundo o relatório.
" Os primeiros atingidos e os mais afetados são os grupos mais pobres do mundo, embora eles pouco tenham feito para causar o problema "
mudança climática é o maior desafio humanitário emergente do nosso tempo, causando sofrimento para centenas de milhões de pessoas no mundo todo", disse nota assinada pelo ex-secretário-geral da ONU Kofi Annan, presidente do FHG.
"Os primeiros atingidos e os mais afetados são os grupos mais pobres do mundo, embora eles pouco tenham feito para causar o problema", acrescentou.
De acordo com o estudo, os países em desenvolvimento sofrem mais de 90 por cento do ônus humano e econômico da mudança climática, embora os 50 países mais pobres respondam por menos de 1 por cento das emissões de gases do efeito estufa.
Annan defendeu que a conferência climática de dezembro da ONU em Copenhague aprove um tratado eficaz, justo e compulsório para substituir o Protocolo de Kyoto. "Copenhague precisa ser o acordo internacional mais ambicioso já negociado", escreveu Annan na introdução do relatório. "A alternativa é a fome em massa, a migração em massa e a doença em massa."
O estudo alerta que o real impacto do aquecimento global deve ser muito mais grave do que o texto prevê, já que sua base são os cenários mais conservadores estabelecidos pela ONU. Novas pesquisas científicas apontam para uma mudança climática maior e mais rápida.
O relatório pede especial atenção às 500 milhões de pessoas consideradas extremamente vulneráveis, por viverem em países pobres propensos a secas, inundações, tempestades, elevação do nível dos mares e desertificação.
Dos 20 países mais vulneráveis, 15 ficam na África, segundo o estudo. O Sul da Ásia e pequenos países insulares também são muito afetados.
O texto diz que, para evitar o pior, seria preciso multiplicar por cem os esforços de adaptação à mudança climática nos países em desenvolvimento. Verbas internacionais destinadas a isso alcançam apenas 400 milhões de dólares por ano, enquanto o custo estimado da mudança climática fica em 32 bilhões de dólares.
"O financiamento dos países ricos para ajudar os pobres e vulneráveis a se adaptarem à mudança climática não chega nem a 1 por cento do que é necessário", disse Barbara Stocking, executiva-chefe da ONG britânica Oxfam e integrante do conselho diretor do FHG. "Esta flagrante injustiça precisa ser resolvida em Copenhague em dezembro."
Fonte: O Globo
VAMOS NÓS: Esses números são assustadores, mas infelizmente não comovem os países ricos. São eles os maiores poluidores e agresores da natureza. Tudo pela defesa dos interesses estratégicos e ecônomicos e à custa da vida de milhares de homens e mulheres. Imagine tal desatino! O que adianta essa revolução tecnológica e todo o processo de evolução da humanidade se não se permite ao homem habitar um planeta saudável. Aí surge a culpa do transcendente pelos cataclismos ocorridos. Afinal, é preciso encontrar um culpado.
É absurdo imaginar que o homem dotado de razão seja capaz de destruir a si mesmo. Surge um discurso pragmático e dialético: onde cabe tanta sabedoria e burrice. Talvez o racionalismo cartesiano possa explicar, principalmente pela forma de sistematizar as realidades com o reducionismo impróprio, não se atentando, como diria Gadamer, aos horizontes múltiplos do sujeito e sua interação com o objeto. Isso dentro de uma expectativa hermenêutica que trespassasse o corte meramente epistemológico. Mais reflexão menos sistematização. Talvez o homem compreenda um dia que ele foi concebido para pensar não apenas para repetir noções paradigmáticas, destituídas da visão crítica, da sensibilildade inventiva.
Esperamos que o bom senso prevaleça para que o planeta seja salvo!!!!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

HOMENAGEM ÀS MÃES: UM DOS MAIS BELOS TEXTOS QUE JÁ LI

Resolvi homenagear às mães com esse texto que considero uma das mais belas páginas já escritas pela inteligência humana. Neste azo, quero cumprimentar a minha adorável mãe Terezinha Albuquerque e à minha esposa e companheira de todas as horas Marlúcia, mãe do meu bem mais precioso.
Retrato de Mãe
Uma simples mulher existe que, pela imensidão de seu amor, tem um pouco de Deus; e pela constância de sua dedicação, tem muito de anjo; que, sendo moça, pensa como uma anciã e, sendo velha, age com as forças todas da juventude; quando ignorante, melhor que qualquer sábio desvenda os segredos da vida, e, quando sábia, assume a simplicidade das crianças; pobre, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama, e, rica, empobrecer-se para que seu coração não sangre ferido pelos ingratos; forte, entretanto estremece ao choro de uma criancinha, e, fraca, entretanto se alteia com a bravura dos leões; viva, não lhe sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam, e, morta, tudo o que so…

DICA DE LIVRO: JESUS, O MAIOR LÍDER QUE JÁ EXISTIU, de Laurie Beth Jones

Sempre tenho falado da importância do exercício da liderança, tanto na vida profissional, como pessoal. Como fruto dessa necessidade indico o livro JESUS, O MAIOR LÍDER QUE JÁ EXISTIU, de Laurie Beth Jones (Editora Sextante). A autora é consultora de marketing e conferencista de renome nos Estados Unidos. O livro trata sobre os princípios de liderança de Jesus Cristo e como podem eles ser aplicados no trabalho, gerando crescimento, harmonia e realização. Numa abordagem espirituosa, a autora compara Jesus a um empresário que montou uma equipe de 12 pessoas que estava longe de serem perfeitas, mas conseguiu treiná-las e motivá-las para cumprirem sua missão com sucesso. Nesse contexto, o livro mostra um modelo de gestão baseado em três categorias de forças: autodomínio, ação e relações. Entre as frases geniais do livro, destaco: "Esperar o tempo perfeito é uma grande desculpa e uma racionalização para se ficar parado e não fazer nada." (pág. 44); "Os líderes que compartilha…

RELACIONAMENTO SAUDÁVEL EXIGE RENÚNCIA E MUITO DIÁLOGO

Ontem fui a Universidade Estadual Vale do Acaraú. Na oportunidade, encontrei um amigo de longas datas se queixando sobre os dissabores do amor, mormente no tocante as diferenças entre o homem e a mulher. Ouvi-o atentamente e ao final, como ele me permitiu, fiz algumas observações. A primeira delas foi alertá-lo de que uma relação só se constroi pelo diálogo (nada dessa onda de cara fechada, de orgulho). Duas pessoas que se propõem a viver um relacionamento saudável têm que necessariamente abdicar em favor do outro e permitir concessões recíprocas. Gaspareto já dizia que "Não possuímos as pessoas, temos apenas amor por elas". A ideia de posse, tão ocidental, tem levado muitos relacionamentos ao declínio. Não se pode querer tirar do outro a sua individualidade, a não ser que se deseje relacionar-se com um autômato. O amor é fruto de um pacto de amadurecimento, onde cada um assume a tarefa de fazer o outro feliz, e naturalmente, será feliz, também, por extensão do próprio ato…