Pular para o conteúdo principal

NOSSO FUTURO DEPENDERÁ DAS NOSSAS ESCOLHAS HOJE

Sempre tenho dito aos meus alunos que não é necessário advinhômetro ou fazer uso da Mãe Dinah para saber sobre o futuro. Basta ter atenção ao que você está plantando hoje. Se plantares ervas daninhas, colherá na mesma proporção. Na verdade, são as nossas escolhas hoje que dirão sobre o nosso futuro.
O sucesso de uma vida em plenitude perpassa pelo exercício constante e permanente do equilíbrio. Não podemos viver somente sob o espírito do carpe diem(aproveite o dia). É preciso ter um olhar para frente. Se desejamos uma velhice tranquila e saudável, temos que organizar nossa vida sob três pilares do equilíbrio: financeiro, emocional e profissional.
Temos que saber poupar e organizar nossas finanças. Não podemos gastar além do que ganhamos;não podemos contrair dívidas superiores a nossa capacidade de adimplemento; não podemos consumir sem que para isso haja um lastro financeiro. Ou(..) o que é melhor:precisamos poupar, pelo menos, 1/3 do nosso salário.
No âmbito emocional, é necessária a prudência nas atitudes. O sofrimento é algo inevitável, mas sua magnitude pode ser reduzida bastante, se soubermos construir uma vida afetiva sobre a rocha. Nela há de prosperar o diálogo, o respeito mútuo e o companheirismo.
Por outro lado,a vida profissional deve ser uma experiência de crescimento, de cooperação e de coerência. Tornaremos o ambiente de trabalho saudável à medida que assumimos as nossas responsabilidades com afinco, através de ações propositivas, respeitando as diferenças do colega e construindo as possibilidades.
Se queremos ter sucesso, não há uma fórmula mágica para isso. É preciso ralar muito, estudar muito, dialogar e saber ouvir. Como um parte do corpo não adoece sozinho, o sucesso, também, não acontece em plenitude se não albergar os três pilares do equilíbrio. Não acredito que alguém bem sucedido no trabalho seja feliz se não tiver uma vida harmoniosa no lar. Não há equação que separe o homem de suas emoções intrínsecas. Daí ser necessária a junção dessas resultantes. Refletir é sempre um exercício saudável!!!

Comentários

  1. Dica de livro que tangencia o assunto: "Outliers - fora de série", da Ed. Sextante, do jornalista Malcolm Gladwell.

    Livro excelente! Fala sobre a tão discutida questão do talento, quais suas origens, se inato ou gerado, se é possível aumentá-lo. A tese é interessante. O autor não desmerece a força de vontade ou esforço pessoal, mas também não lhes atribui unicamente a razão do sucesso. Com exemplos reais de titãs dos negócios, esportes e ciências, o autor demonstra que há sim uma influência do meio e, fundamentalmente, da família. Achei genial a idéia dele da família como filtro desse meio no qual os talentos são gestados, o que explica o motivo de pessoas conseguirem sucesso em ambientes hostis (estímulo familiar constante) e, também, o contrário: pessoas fracassadas mesmo em ambientes favoráveis (também por causa da cultura familiar).

    Vale a pena!

    ResponderExcluir
  2. O interessante é que o subtítulo original de "Outliers" é "A história do sucesso". No edição brasileira, preferiu-se a tradução de outliers, que é [pessoas, fatos ou coisas] "fora de série", fenomenais.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

HOMENAGEM ÀS MÃES: UM DOS MAIS BELOS TEXTOS QUE JÁ LI

Resolvi homenagear às mães com esse texto que considero uma das mais belas páginas já escritas pela inteligência humana. Neste azo, quero cumprimentar a minha adorável mãe Terezinha Albuquerque e à minha esposa e companheira de todas as horas Marlúcia, mãe do meu bem mais precioso.
Retrato de Mãe
Uma simples mulher existe que, pela imensidão de seu amor, tem um pouco de Deus; e pela constância de sua dedicação, tem muito de anjo; que, sendo moça, pensa como uma anciã e, sendo velha, age com as forças todas da juventude; quando ignorante, melhor que qualquer sábio desvenda os segredos da vida, e, quando sábia, assume a simplicidade das crianças; pobre, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama, e, rica, empobrecer-se para que seu coração não sangre ferido pelos ingratos; forte, entretanto estremece ao choro de uma criancinha, e, fraca, entretanto se alteia com a bravura dos leões; viva, não lhe sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam, e, morta, tudo o que so…

DICA DE LIVRO: JESUS, O MAIOR LÍDER QUE JÁ EXISTIU, de Laurie Beth Jones

Sempre tenho falado da importância do exercício da liderança, tanto na vida profissional, como pessoal. Como fruto dessa necessidade indico o livro JESUS, O MAIOR LÍDER QUE JÁ EXISTIU, de Laurie Beth Jones (Editora Sextante). A autora é consultora de marketing e conferencista de renome nos Estados Unidos. O livro trata sobre os princípios de liderança de Jesus Cristo e como podem eles ser aplicados no trabalho, gerando crescimento, harmonia e realização. Numa abordagem espirituosa, a autora compara Jesus a um empresário que montou uma equipe de 12 pessoas que estava longe de serem perfeitas, mas conseguiu treiná-las e motivá-las para cumprirem sua missão com sucesso. Nesse contexto, o livro mostra um modelo de gestão baseado em três categorias de forças: autodomínio, ação e relações. Entre as frases geniais do livro, destaco: "Esperar o tempo perfeito é uma grande desculpa e uma racionalização para se ficar parado e não fazer nada." (pág. 44); "Os líderes que compartilha…

RELACIONAMENTO SAUDÁVEL EXIGE RENÚNCIA E MUITO DIÁLOGO

Ontem fui a Universidade Estadual Vale do Acaraú. Na oportunidade, encontrei um amigo de longas datas se queixando sobre os dissabores do amor, mormente no tocante as diferenças entre o homem e a mulher. Ouvi-o atentamente e ao final, como ele me permitiu, fiz algumas observações. A primeira delas foi alertá-lo de que uma relação só se constroi pelo diálogo (nada dessa onda de cara fechada, de orgulho). Duas pessoas que se propõem a viver um relacionamento saudável têm que necessariamente abdicar em favor do outro e permitir concessões recíprocas. Gaspareto já dizia que "Não possuímos as pessoas, temos apenas amor por elas". A ideia de posse, tão ocidental, tem levado muitos relacionamentos ao declínio. Não se pode querer tirar do outro a sua individualidade, a não ser que se deseje relacionar-se com um autômato. O amor é fruto de um pacto de amadurecimento, onde cada um assume a tarefa de fazer o outro feliz, e naturalmente, será feliz, também, por extensão do próprio ato…