terça-feira, 16 de junho de 2015

REFLEXÃO PARA O DIA:

Terça, 16 de junho de 2015
Para: CARLOS ROBERTO ALBUQUERQUE MENDES


 
Orgulho x humildade

"Que significa conhecer e experimentar meu próprio "nada'?

Para conhecer, de fato, nosso "nada", temos também de amá-lo. Para amar nosso nada, temos de amar em nós tudo que o orgulhoso ama quando se ama a si mesmo. Mas por razões exatamente opostas. O homem orgulhoso ama-se a si mesmo porque acredita ser digno de amor, respeito e veneração de si mesmo. Porque pensa que deve ser amado por Deus e pelos homens. Porque se crê mais digno de ser honrado, amado e reverenciado do que todos os outros homens.

O homem humilde também se ama a si mesmo e procura ser amado e honrado, não porque o amor e a honra lhe sejam devidos, e sim porque não lhe são devidos. Procura ser amado pela misericórdia de Deus.

O homem orgulhoso ama sua própria ilusão e autossuficiência. O homem espiritualmente pobre ama precisamente a sua insuficiência. O orgulhoso exige honras por possuir o que o que nenhum outro tem. O humilde roga ser admitido a partilhar naquilo que todos os ouros receberam. Deseja, também ele, ser repleto, até a plenitude, pela bondade e misericórdia de Deus."
 
Na liberdade da solidão, Thomas Merton (Editora Vozes), 7ª Ed. 2014, pág. 37 e 38 

Nenhum comentário:

Postar um comentário