sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Michel Temer e PMDB entram em colisão com Cid e Guimarães


O vice-presidente da República, Michel Temer, e seu partido, o PMDB, acreditam que o governador do Ceará, Cid Gomes (PROS), e o líder do PT na Câmara, José Guimarães, estão orquestrando um plano para minar o crescimento do partido no governo Federal.
A teoria da conspiração foi motivada pelo desejo frustrado da legenda de ocupar a vaga deixada por Fernando Bezerra no ministério da Integração Nacional.
Ao invés de indicar o senador paraibano Vital do Rêgo (PMDB), como era desejo dos peemdebistas, Dilma Rousseff nomeou, interinamente, o engenheiro cearense Francisco Teixeira.
A decisão desagradou duplamente à sigla. Além de perderem, mesmo que provisoriamente, a vaga, o espaço foi ocupado por um aliado de Cid Gomes.
Surge, ainda, um agravante, a presidente dá indícios de que pretende efetivar Teixeira em janeiro, quando realizará sua última reforma ministerial.
Guimarães, a quem a petista comumente escuta, defende a efetivação do cearense. De acordo com o líder petista, é importante ter um técnico à frente da Integração, para despolitizar a pasta, que tem algumas das principais obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).
Michel Temer, por sua vez, puxa brasa para sua sardinha: “Esta é uma decisão da presidente Dilma. Mas é claro que o PMDB tem cargos preparados para ocupar hoje qualquer função no país, espacialmente ministérios.”
O PMDB também acredita que Cid, seu irmão Ciro e Guimarães estão encabeçando uma operação para levar lideranças da legenda para o recém-lançado PROS, partido ao qual o governador e seus aliados se filiaram.
* Com informações do jornal O Globo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário