sábado, 13 de agosto de 2011

Pelo menos 87 juízes estão ameaçados de morte no Brasil, diz CNJ

A morte da juíza Patrícia Acioli na madrugada desta sexta-feira deixa o Poder Judiciário em estado de alerta.
"O assassinato da juíza Patrícia Lourival Acioli na madrugada desta sexta-feira (12), no bairro Piratininga, em Niterói, acendeu a luz amarela do Poder Judiciário. No Brasil existem, pelo menos, 87 juízes ameaçados, afirma a corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Eliana Calmon.
Para a ministra, o Judiciário está "cochilando" em garantir a segurança desses magistrados. Calmon enviou ofício para todos os tribunais do país, em junho, questionando casos de juízes que sofrem ameaças e que necessitam de escolta. Nem todos os tribunais responderam, como os Tribunais de Justiça de São Paulo e Minas Gerais, por exemplo.
No Rio de Janeiro, sete desembargadores e seis juízes contam com seguranças por estarem ameaçados. A juíza Patrícia Lourival Acioli, no entanto, não estava na lista. Vítima de homicídio, Acioli recebeu recomendação do Tribunal de Justiça do Rio para mudar de vara, mas negou a oferta. A perícia constatou que ao menos 15 tiros atingiram o veículo. O total de tiros disparados, no entanto, ainda não foi determinado.
Segundo a polícia, as imagens flagraram o momento em que os criminosos fugiam após o crime. Testemunhas afirmaram que eles estavam em dois carros e duas motos, mas o número de criminosos que participaram da ação ainda é desconhecido."
*Com informações da Folha de SP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário