Pular para o conteúdo principal

AOS "DONOS DA VERDADE", UMA REFLEXÃO

Assusta-me bastante os arautos da moralidade, com seus blogs espalhados por aí, arrotando prepotência e sentindo-se acima do "bem" e do " mal". Dão-se ao direito de ser o dono absoluto da verdade: ninguém além deles presta. Arvoram-se como representantes das massas sofridas, dos ideias mais nobres. E todo aquele que não professa sua cartilha deve ser execrado, excomungado, porque se constituem em excremento humano.
Em nome dessa "pseudo verdade", fruto de uma visão neurótica e recalcada da realidade, esquecem-se de que o primado da democracia e do Estado do Direito é permitir ao cidadão a liberdade de fazer opções (sejam boas ou ruins). Esse é um direito inalienável de cuja natureza desconhece os "puritanos" de cócoras, porque não se dão ao trabalho de enxergar além de sua própria mediocridade. Para eles, só ódio interessa. Nada deve ser construido ou dialogado. Não existe o meio termo: Ou é bom ou não presta. Vive uma visão dicotômica às avessas, pela imaturidade de conceber um mundo a partir das diversidades. Odeiam as pessoas porque se acham acima delas e as entendem como "massas de manobra" incapazes de fazer uso da racionalidade. Somentes eles são os salvadores da pátria! "A última coca-cola do deserto". Elevam-se à categoria de ungido, sem mácula e pecado, que veio ao mundo salvar os desvalidos.
Não percebem, entretanto, que mergulham em um discurso radical e contraproducente, ignorando que a dialética é a ciência de saber viver no meio de opostos e, como homens sensatos e civilizados, lhes é dada a missão de respeitar seus semelhantes, mesmo quando pensam diferente deles. Aqui o critério não é discernir quem tem a melhor razão, mas sim resguardar a todos a oportunidade de expressar-se e defender aquilo que consideram importante.
Penso desta forma porque aprendi com os livros e com a vida que pior do que cometer erros é ficar em cima do muro, sem coragem de tomar partido, atirando pedras em todas as direções. Não temo dizer que sempre tive de um lado só: o da minha consciência. E mesmo defendendo esses princípios e as opções que tomei, jamais deixarei de respeitar as pessoas, independentemente do que pensam ou de que lado estão.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

HOMENAGEM ÀS MÃES: UM DOS MAIS BELOS TEXTOS QUE JÁ LI

Resolvi homenagear às mães com esse texto que considero uma das mais belas páginas já escritas pela inteligência humana. Neste azo, quero cumprimentar a minha adorável mãe Terezinha Albuquerque e à minha esposa e companheira de todas as horas Marlúcia, mãe do meu bem mais precioso.
Retrato de Mãe
Uma simples mulher existe que, pela imensidão de seu amor, tem um pouco de Deus; e pela constância de sua dedicação, tem muito de anjo; que, sendo moça, pensa como uma anciã e, sendo velha, age com as forças todas da juventude; quando ignorante, melhor que qualquer sábio desvenda os segredos da vida, e, quando sábia, assume a simplicidade das crianças; pobre, sabe enriquecer-se com a felicidade dos que ama, e, rica, empobrecer-se para que seu coração não sangre ferido pelos ingratos; forte, entretanto estremece ao choro de uma criancinha, e, fraca, entretanto se alteia com a bravura dos leões; viva, não lhe sabemos dar valor porque à sua sombra todas as dores se apagam, e, morta, tudo o que so…

DICA DE LIVRO: AUTO DA BARCA DO INFERNO, de Gil Vicente

Ainda da Coleção Clássicos Saraiva, indico para leitura a obra "O AUTO DA BARCA DO INFERNO", do humanista português Gil Vicente. Inicialmente destaco que Gil Vicente é um importante autor da literatura portuguesa e foi o fundadador do teatro em Portugal. Situada no limiar entre a Idade Média e o Renascimento, no período que ficou conhecido como Humanismo, entre os séculos XV-XVI, a obra vicentina é um atestado exemplar dessa transição de costumes e valores. Tendo temática de base religiosa, seu teatro consegue harmonizá-la com elementos profanos. "O auto da barca do inferno" é a obra mais famosa de Gil Vicente e um clássico do teatro de língua portuguesa. Seu tema central são as personagens que, mortas, são conduzidas à barca que as levará ao Inferno ou Paraíso. As cenas retratam o diálogo jocoso que cada um dos pecadores trava com o Anjo e com o Diabo. São muitas os personagens sociais que fazem parte do drama: Frade, Sapateiro, Fidalgo, Alcoviteira, Enfocado e ou…

DICA DE LIVRO: JESUS, O MAIOR LÍDER QUE JÁ EXISTIU, de Laurie Beth Jones

Sempre tenho falado da importância do exercício da liderança, tanto na vida profissional, como pessoal. Como fruto dessa necessidade indico o livro JESUS, O MAIOR LÍDER QUE JÁ EXISTIU, de Laurie Beth Jones (Editora Sextante). A autora é consultora de marketing e conferencista de renome nos Estados Unidos. O livro trata sobre os princípios de liderança de Jesus Cristo e como podem eles ser aplicados no trabalho, gerando crescimento, harmonia e realização. Numa abordagem espirituosa, a autora compara Jesus a um empresário que montou uma equipe de 12 pessoas que estava longe de serem perfeitas, mas conseguiu treiná-las e motivá-las para cumprirem sua missão com sucesso. Nesse contexto, o livro mostra um modelo de gestão baseado em três categorias de forças: autodomínio, ação e relações. Entre as frases geniais do livro, destaco: "Esperar o tempo perfeito é uma grande desculpa e uma racionalização para se ficar parado e não fazer nada." (pág. 44); "Os líderes que compartilha…